detido na terça-feira pela Polícia Judiciária





"No essencial, recolheram-se fortes indícios de que um dos arguidos, enquanto Chefe de Equipa na Gestão de Remunerações da Segurança Social, no Centro Distrital de Lisboa (Núcleo de Remunerações), em coautoria com um familiar também arguido, solicitavam e aceitavam quantias em dinheiro e outros benefícios patrimoniais a troco de o arguido/funcionário da segurança social proceder à pretendida anulação de dívidas de empresas ou de particulares, obter indevidamente a atribuição de subsídios de desemprego e aumentar os valores de pensões de reforma", precisa o Ministério Público, em resposta à agência Lusa.