Uma criança de seis anos com várias deficiências, as irmãs e os pais têm vivido com dificuldades por causa do custo dos tratamentos. Esta família, da Costa da Caparica, recebe mensalmente 108 euros quando os tratamentos custam, por mês, cerca de três mil.

Ivo nasceu prematuro, às 26 semanas, e desenvolveu deficiências, nomeadamente paralisia cerebral, epilepsia e graves problemas gastrointestinais.

Todos os meses são necessários mais de três mil euros só para despesas de saúde. Os pais, que têm mais duas filhas, não conseguem suportar os gastos.

Tem valido a esta família a ajuda de familiares e amigos e doações, numa altura em que o Governo não aprovou o estatuto do cuidador informal.

“Eu primeiro sou enfermeira e médica e só depois é que sou mãe”, afirma Lúcia.