Os trabalhadores não docentes do Agrupamento de Escolas da Costa de Caparica protestam esta terça-feira contra a situação de degradação das condições de trabalho nos cinco estabelecimentos escolares.

Na concentração que ocorre junto à Escola Básica 2,3 da Costa da Caparica a repórter Carolina Brás falou com Paula Bravo, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul (STFPSS), que afirmou que a falta de trabalhadores coloca em causa a segurança dos alunos nas escolas.

Há uma questão que é colocada em causa: a segurança das crianças e jovens", vincou.

Paula Bravo afirmou que "a falta de trabalhadores é gritante" nas escolas, a nível nacional.

Os trabalhadores vão saindo e não são substituídos. (...) Isto reflete-se na saúde dos trabalhadores que acumulam o trabalho de dois, três ou quatro", acrescentou.

Do Agrupamento de Escolas da Caparica fazem parte cinco escolas: Escola Secundário do Monte de Caparica, Escola Básica José Cardoso Pires, EB1/JI Costa da Caparica, EB1/JI de Vila Nova de Caparica e Escola Básica 2,3 da Costa de Caparica.