Um surto de covid-19 no lar da Ordem Terceira de S. Francisco, em Vila do Conde, distrito do Porto, causou a morte a nove utentes da instituição, confirmou hoje a presidente da Câmara vila-condense à agência Lusa.

Elisa Ferraz considerou a situação "preocupante", com 87 pessoas infetadas entre utentes e funcionários, mas garantiu que a autarquia já disponibilizou todos os recursos ao seu alcance para ajudar a controlar o surto, nomeadamente reforçando meios humanos para apoiar nos cuidados aos idosos.

Ainda antes do Natal tivemos conhecimento do surto e foi-nos pedida ajuda. Contratámos, então, os serviços de uma empresa especializada que enviou para o lar pessoas para ajudar a cuidar dos utentes e acionámos enfermeiras do nosso banco de voluntariado", começou por explicar autarca.

Elisa Ferraz disse ter sido "surpreendida" na quarta-feira com a informação do número de óbitos e voltou a contactar a instituição para averiguar que mais carências havia para travar o surto.

Percebemos que começava a faltar equipamentos de proteção individual e reunimos uma grande quantidade que foi, de imediato, enviada, juntamente com produtos de desinfeção. Tudo o que nos pediram conseguimos providenciar e continuamos a acompanhar a situação de muito perto", garantiu a presidente de Câmara.

Além dos nove utentes que não resistiram às complicações associadas à covid-19, há mais três que continuam internados, sendo que na instituição há 53 idosos que estão infetados, e devidamente isolados, assim como 34 funcionários que também contraíram o vírus.

Se for necessário a autarquia tem camas de retaguarda em infraestruturas próprias para acolher utentes que não estejam infetados e poder isolá-los, mas até agora não nos foi solicitado. Continuamos diariamente acompanhar a situação", vincou Elisa Ferraz.

/ CM