A presidente da Câmara de Portalegre manifestou-se, nesta quinta-feira, preocupada com o número de infetados por covid-19 no concelho nos últimos dias, indicado que há registo de 114 casos ativos, 70 dos quais num lar da misericórdia.

Adelaide Teixeira, que falava aos jornalistas em conferência de imprensa, considerou que o surto na Santa Casa da Misericórdia de Portalegre (SCMP), com 70 utentes infetados é “preocupante”, sublinhando ainda que são desconhecidas “as linhas” de contágios espalhadas em vários pontos do concelho.

Vejo [o aumento de casos] com preocupação, obviamente, e tentando monitorizar todas as situações e acompanhá-las muito de perto de maneira não só a confinar estes pequenos surtos que estão a aparecer, mas também dar respostas e encontrar algumas soluções”, disse.

Para tentar debelar a situação, o município cancelou a realização no domingo do mercado mensal, estando também os próprios serviços do município a tomar medidas de precaução.

Uma das medidas foi imediatamente cancelar o mercado mensal, por questões de precaução. A própria câmara já está a começar a trabalhar em espelho e estamos também a tentar implementar outras ações no terreno de maneira a que este surto não traga mais problemas”, adiantou.

O elevado número de casos poderá conduzir o concelho de Portalegre a integrar a lista de concelhos em risco, situação que a autarca também lamentou.

Surto em lar da Misericórdia

Um surto de covid-19 no lar da SCMP infetou pelo menos 70 utentes, divulgou hoje a comissão administrativa da instituição.

Ao longo de todo o dia 10 de novembro [terça-feira] foram feitos mais de 200 testes a residentes e funcionários da instituição, tendo chegado apenas os resultados dos residentes. Ao final da noite de 11 de novembro [quarta-feira] tínhamos os seguintes resultados para um total de 95 utentes: 70 residentes positivos, 23 residentes negativos e dois testes em falta”, lê-se no comunicado divulgado.

A comissão administrativa da SCMP indica que aguarda “a qualquer momento” a chegada dos resultados dos testes efetuados aos funcionários e ainda a dois residentes, estando em “contacto e articulação” com as autoridades sanitárias e restantes entidades para “tentar controlar” as cadeias de transmissão e minimizar possíveis danos.

“Em reunião com a câmara municipal, Proteção Civil, Segurança Social e Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) foram definidas as medidas imediatas a tomar, estando prevista a entrada de uma brigada de intervenção rápida para reforçar a equipa da Misericórdia”, refere.

Segundo a instituição, “estão a ser feitas as necessárias alterações na estrutura organizacional dos serviços de forma a isolar os casos positivos e garantir a segurança e o bem-estar de todos os residentes”.

As famílias foram informadas à medida que fomos recebendo os resultados”, é referido no comunicado.

A comissão administrativa, que indica que a maioria dos doentes se encontra “estável” e com sintomas “ligeiros ou assintomáticos”, acrescenta ter recebido os resultados dos testes que tinham sido feitos às crianças e funcionários do Centro Infantil de São Lourenço, outra das valências da instituição, não existindo qualquer caso ativo.

De acordo com o relatório publicado esta manhã pela Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano na sua página na Internet, o distrito de Portalegre registava 309 casos ativos, sendo a lista liderada pelo concelho de Portalegre com 114 casos, segue-se o concelho de Elvas com 51 casos ativos, Ponte de Sor (31), Campo Maior (29), Arronches (22) e Monforte (18).

O concelho do Crato apresenta nove casos ativos, Sousel sete, Gavião sete, Alter do Chão e Marvão cinco, Nisa quatro, Fronteira e Avis três casos cada.

O concelho de Castelo de Vide não apresenta hoje nenhum caso ativo.

No mesmo relatório, a ULSNA indica que foram feitos até hoje 22.822 testes de diagnóstico no distrito de Portalegre e que desde o começo da pandemia há registo de dois óbitos associados à covid-19.

/ CM