Um total de 248 casos de covid-19 foram detetados na rede de estabelecimentos prisionais do país, afetando 80 trabalhadores e 168 reclusos, dos quais 148 estão na cadeia feminina de Tires, segundo o último balanço dos serviços prisionais.

Fonte oficial da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) informou que, dos 80 trabalhadores infetados, 52 são guardas prisionais, 14 profissionais de saúde, sete técnicos profissionais de reinserção social, três auxiliares técnicos, dois professores, um auxiliar de cozinha e um segurança de empresa privada.

Entre os 248 casos positivos de covid-19 no sistema prisional, 168 dizem respeito a detidos, nomeadamente às 148 reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires e mais duas crianças.

Do mesmo estabelecimento estão também infetadas cinco guardas prisionais, duas profissionais de saúde e uma auxiliar de cozinha de empresa externa.

As duas crianças que acusaram positivo pelo novo coronavírus foram observadas na terça-feira numa consulta hospitalar de pediatria e regressaram ao estabelecimento prisional onde se encontram em isolamento na companhia das respetivas mães.

Segundo a direção-geral, vai realizar-se nos próximos dias “a nova testagem das reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires que agora acusaram ser negativos”.

No estabelecimento Prisional de Lisboa, começaram hoje a ser testados 200 reclusos e 30 profissionais identificados como contactos de risco de seis detidos, colocados nos serviços clínicos, que deram positivo.

Embora assintomáticos, os seis reclusos com teste positivo foram encaminhados para o Hospital Prisional de São João de Deus, em Caxias.

/ CM