Se está a pensar seguir o conselho do presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, que espera "que os portugueses se desloquem de forma massiva para o sul de Espanha" para apoiar a Seleção Nacional, convém saber em que situação sanitária se encontra Sevilha.

E podemos dizer, desde já, que não é a melhor.

Em Espanha, a região da Andaluzia é a mais afetada, neste momento, pela pandemia, com Sevilha na frente de alarme, com uma taxa de incidência de 176,6 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias (9 a 22 de junho). Em Madrid, por exemplo, é de 62,66.

Sevilha, aliás, é a única das oito províncias da Andaluzia que tem dois municípios no nível máximo de alerta e em cerca sanitária devido aos mais de 1.000 casos por 100.000 habitantes - Cantillana e Herrera.

No entanto, a maior parte da província, incluindo a capital, está no nível 2 de alerta, o segundo menos grave, numa altura em que Espanha avança a todo o vapor no desconfinamento. Os distritos Sevilha Este e Sevilha Norte permanecem no nível 3, exceto os municípios de Herrera e Cantillana, que, recorde-se, estão no nível 4, o mais grave.

A revisão da situação epidemiológica foi feita na quarta-feira e está em vigor desde as 00:00 desta quinta-feira, e durante uma semana.

Os números covid

Sevilha é uma das oito províncias da comunidade autónoma da Andaluzia, da qual fazem também parte Huelva, Cádis, Córdova, Jaén, Granada, Málaga e Almería.

Nas últimas 24 horas foram registados 278 novos casos em Sevilha, 1.440 no total da Andaluzia, de acordo com as autoridades de saúde andaluzes.

Sevilha tem 152 doentes covid hospitalizados, 43 em cuidados intensivos.

Desde o início da pandemia foram já registados 135.565 casos em Sevilha, 2.033 mortos, 10.988 hospitalizações (1.107 em UCI) e 128.164 doentes recuperados.

Sevilha é a província mais afetada, com mais casos e óbitos. No total, a Andaluzia já registou 611.918 casos e 10.172 mortos.

Vacinados

Na Andaluzia já foram administradas 6.915.255 milhões de doses da vacina contra a covid-19, 1.566.443 milhões em Sevilha

A primeira dose foi administrada a 4.378.492 milhões de pessoas – 993.280 em Sevilha, e com a vacinação completa há 2.759.616 milhões (612.887 em Sevilha), o equivalente a 32,6% da população andaluz.

Território e população

Em termos territoriais, a região da Andaluzia tem 87.268 km2, ligeiramente abaixo dos 92.256 km2 de Portugal.

Também os números populacionais são aproximados, com cerca de 8,4 milhões na Andaluzia e perto de 10 milhões em Portugal.

A Andaluzia tem uma densidade populacional de 92,35 habitantes/km2, que compara com os 115,3/km2 de Portugal.

Permissões e restrições

O uso de máscara, a partir dos seis anos de idade, e o cumprimento do distanciamento social de 1,5 metros são duas das medidas obrigatórias de combate à pandemia a cumprir na Andaluzia.

Esta região encontra-se já na última fase de desconfinamento, com promessas de um verão o mais normal possível, mas, para já, ainda com máscara obrigatória.

Não há entraves à circulação entre províncias nem recolher obrigatório.

As pessoas podem juntar-se em grupos de 8 (máximo) no interior de bares e restaurantes e até 10 em zonas exteriores, como esplanadas.

Os restaurantes dos hotéis e a restauração em geral podem estar abertos até à meia-noite e as discotecas até às 02:00 da madrugada.

A taxa de ocupação na restauração e em todos os estabelecimentos comerciais, incluindo centros comerciais, não deve exceder os 75%, mas as esplanadas podem ter um nível de ocupação de 100%. Nas discotecas, a ocupação máxima é de 50%.

Os transportes públicos podem ter 100% dos lugares sentados ocupados e 75% dos lugares de pé. Nos restantes meios de transporte são permitidas tantas pessoas quantos os lugares.

Catarina Machado