Terminamos esta viagem por 2020 em Momentos, com esperança.

Estávamos numa fria manhã de domingo, a Norte do país, quando todas as páginas e ecrãs dos meios de comunicação do país se enchiam com a notícia mais aguardada do ano: António Sarmento foi a primeira pessoa em Portugal a ser administrado com a tão aguardada vacina contra a covid-19. 

A assistir a esse momento, que viria a ser celebrado com uma salva de palmas, estavam a ministra da Saúde, Marta Temido, vários colegas de profissão, dezenas de jornalistas e, nas casas de todo o país, uma incontável quantidade de pessoas. 

António Sarmento, médico há mais de quatro décadas, afirmou que não esperava ser o primeiro a receber a vacina produzida pela Pfizer-BioNTech e que "não correu atrás da vacina", mas também não tentou escapar à mesma. 

Sempre disse que se me chamassem hoje iria e se me chamassem dentro de 15 dias ia com a mesma tranquilidade. A perspetiva da vacina não me tirou um minuto de sono, nem antes de a receber nem depois."

O médico, que é também diretor do serviço de infecciologia do Hospital São João no Porto, foi o primeiro de muitos profissionais de saúde que já foram e serão vacinados contra a covid-19. 

A pandemia marca 2020 e os números são impressionantes. Até esta quinta-feira e desde o início do ano, a covid-19 infetou, em Portugal, 413.678 pessoas e tirou a vida a 6.906 doentes.

Mas nem todos os dados são negativos e é com esses, os dados positivos, que terminamos este artigo: desde o início da pandemia, em Portugal, foram contabilizados 334.276 recuperados. 

Diogo Assunção