A ministra da Saúde anunciou, esta segunda-feira, que as primeiras 8.400 doses da vacina da Moderna chegam a Portugal até ao fim desta semana.

A previsão é que esta "nova" vacina se destine, em parte, aos profissionais de saúde prioritários do setor privado que têm colaboração com o SNS, no tratamento e nas respostas a doentes covid-19. 

Marta Temido confirmou ainda a receção de 79.950 doses da vacina da Pfizer, na manhã desta segunda-feira, que já estão a ser distribuídas pelos vários pontos de vacinação do país. 

Estas doses, que vão permitir a vacinação de 95.940 pessoas, estão destinadas maioritariamente a estruturas residenciais para idosos, mas ainda a alguns profissionais do SNS, assim como a profissionais do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge e profissionais de saúde da GNR.

Após uma reunião presidida pelo primeiro ministro, a ministra anunciou que, das 159.900 vacinas Pfizer que foram recebidas em Portugal entre 26 de dezembro e 4 de janeiro, 140.400 doses destinam-se ao continente e 19.500 às regiões autónomas. 

Até sexta-feira, ao final do dia, tinham sido vacinadas 74.099 pessoas entre profissionais de saúde e profissionais e residentes em estruturas residenciais para idosos e unidades da rede nacional de cuidados continuados integrados. 

No dia 18 de janeiro está prevista a receção de mais uma tranche de vacinas da Pfizer.

Assim como, nessa mesma semana, mais uma entrega da farmacêutica Moderna.

Quem toma a vacina da Pfizer? E a da Moderna? 

A ministra Marta Temido reiterou, esta segunda-feira de manhã, que "a única distinção que temos em relação a estas duas vacinas é que em termos do limiar inferior dos grupos etários abrangidos, a vacina da Pfizer se destina a pessoas a partir dos 16 anos e a vacina da Moderna a pessoas a partir dos 18 anos".

Além disso, a ministra deixou claro que quem toma a primeira dose da vacina da Pfizer, deve tomar a segunda dose da mesma vacina. Não havendo alteração de marca entre as duas doses.

Essa é uma recomendação das características do medicamento. A nossa única preocupação é que estes dois aspetos sejam mantidos", afirmou.

Covid-19: grupos prioritários da primeira fase vacinados até ao final de fevereiro

A ministra da Saúde afirmou, esta segunda-feira, que continua em marcha o trabalho de identificação de pessoas que, em função da idade ou comorbilidades, serão vacinadas ainda nesta primeira fase.

Marta Temido anunciou que a preparação daquilo que poderão vir a ser os centros de vacinação, também está em curso. 

A ministra confirma que, o plano de vacinação contra a covid-19 para o mês de janeiro passa pela continuação da vacinação em estruturas residenciais para pessoas idosas e similares, nas unidades da rede nacional de cuidados continuados e integrados e ainda, profissionais de saúde

Estima-se que o processo de vacinação destes grupos esteja concluído, em momentos diferentes, mas ao longo do mês de fevereiro.

Diogo Assunção