O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, considera que os profissionais de saúde, sobretudo os que estão na linha da frente do combate à Covid-19, "deviam ser testados de forma regular", de 15 em 15 dias ou uma vez por mês. O bastonário esteve esta terça-feira no Jornal das 8 da TVI e falou sobre o surto de Covid-19 no serviço de pneumologia do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, noticiado pela TVI.

Somos da opinião de que todos os profissionais de saúde, sobretudo os que estão na linha da frente, deviam ser testados de forma regular. O ideal seria de 15 em 15 dias.”

O bastonário disse ainda que o Ministério da Saúde deveria repensar a norma da Direção-Geral da Saúde que prevê que os profissionais que tenham um contacto de alto risco só sejam testados caso tenham sintomas.

Nos casos de alto risco se o médico ou enfermeiro não tiver sintomas não faz teste. Ora, num contacto de alto risco é evidente que o médico ou o enfermeiro ou outro profissional qualquer deve fazer teste."

"Acho que era uma boa altura para o Ministério da Saúde repensar esta matéria e alterar esta norma da DGS porque esta norma não está bem", acrescentou.

Miguel Guimarães frisou, por outro lado, que "todos os doentes que sejam internados num hospital devem ser testados”.

Sobre a evolução da pandemia em Portugal, o responsável disse que, objetivamente, “as coisas estão controladas”. Miguel Guimarães deixou largos elogios à forma como os portugueses reagiram à pandemia, antecipando e cumprindo medidas importantes no combate à Covid-19.

O tal ‘milagre português’ são os portugueses”, reforçou.

Questionado sobre a capacidade resposta do Serviço Nacional de Saúde para uma segunda vaga, o bastonário foi categórico: “Temos de estar preparados”.

Para que isso aconteça, afirma que é necessário que o Executivo comece a encomendar vacinas para a gripe sazonal, de forma a evitar “entupir” os serviços de urgências com doentes da gripe sazonal e da Covid-19.

É verdade que vamos ter mais ventiladores e vamos poder preparar alguns serviços de forma adequada, mas é fundamental, neste momento, reforçar os cuidados de saúde primários, os serviços de infeciologia e uma capacidade mais adequada nos cuidados intensivos.”

Há um surto de infeção por Covid-19 no serviço de pneumologia do Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Profissionais e doentes estão todos a ser sujeitos a testes. Há casos positivos entre enfermeiros e auxiliares, que estão já em isolamento.

Os doentes infetados estão a ser reencaminhados para os circuitos Covid do hospital. Pelo menos dez pessoas foram infetadas: três enfermeiros, quatro assistentes operacionais e três doentes. 

Em comunicado enviado à TVI, a administração do hospital confirmou que "está a realizar um rastreio exaustivo aos profissionais e doentes do serviço de pneumologia do Hospital de Santa Maria" e garantiu que "não há nenhum profissional internado ou com um quadro clínico grave e que qualquer trabalhador com teste positivo cumprirá as medidas de segurança e isolamento domiciliário previstos".