Deve haver menos crianças por sala, cada funcionário deve corresponder a apenas um grupo e este a uma sala fixa, sempre que possível os materiais não devem ser partilhados, os brinquedos devem ser lavados duas a três vezes por dia, o calçado deve ser deixado à entrada na sala. Estas são algumas das regras já conhecidas para a reabertura das creches, no contexto da pandemia de Covid-19. 

Algumas medidas já tinham sido antecipadas pela imprensa, no fim de semana, mas só esta quarta-feira a Direção-Geral da Saúde divulgou, oficialmente, a orientação para a reabertura das creches.

No documento agora publicado, a DGS recomenda a "redução do número de crianças por sala", que haja um distanciamento físico de 1,5 ou 2 metros entre as crianças quando estas estão em mesas, berços e/ou espreguiçadeiras, que as crianças e os funcionários sejam "organizados em salas fixas (a cada funcionário deve corresponder apenas um grupo)" e devem ser organizados horários e circuitos "de forma a evitar o cruzamento entre pessoas".

À chegada e à saída da creche, as crianças devem ser entregues ou recebidas à porta do estabelecimento, evitando a circulação dos encarregados de educação dentro da creche.

Por outro lado, as creches devem "assegurar, sempre que possível, que as crianças não partilham objetos ou que os mesmos são devidamente desinfetados entre utilizações". As crianças não devem levar brinquedos ou objetos que não são necessários de casa e os brinquedos devem ser lavados duas a três vezes por dia.

A DGS refere ainda que "nas salas em que as crianças se sentem ou deitem no chão" o calçado deve ficar à entrada, "podendo ser solicitado aos encarregados de educação que levem calçado extra (de uso exclusivo na creche) a deixar ao cuidado dos auxiliares". "Os funcionários deverão cumprir a mesma orientação nas salas em questão", acrescenta o mesmo ponto. 

Na hora da sesta, deve existir um colchão para cada criança, que deve ser sempre o mesmo. No período de refeições, a deslocação para a sala deve ser faseada para diminuir o cruzamento de crianças e os lugares devem estar marcados.

Sempre que possível e desde que não seja comprometida a segurança das crianças, é aconselhado que as janelas e as portas das salas fiquem abertas "de modo a permitir uma melhor circulação do ar dentro do espaço".

"Caso haja equipamento como ar condicionado, este nunca deve ser ligado em modo de recirculação de ar. Deve ser mantida uma adequada e frequente manutenção dos sistemas de filtragem", acrescenta o documento.

Todos os funcionários devem usar máscara cirúrgica de forma adequada e deve ser feita a higienização do espaço.

Os pais devem privilegiar o transporte individual da criança para a creche e as cadeirinhas ou o “ovo” devem permanecer em locais separados das salas de atividades e distantes umas das outras.

No caso de a creche dispor de transporte coletivo de crianças, este deve seguir as orientações relativas ao transportes coletivos de passageiros, assegurando “o cumprimento do intervalo e da distância de segurança entre passageiros” como por exemplo uma criança por banco. À entrada e saída da viatura, deve ser disponibilizada uma solução à base de álcool (70% concentração) e a carrinha deve ser descontaminada após cada viagem.

Antes da abertura prevista para 18 de maio, todos os espaços devem ativar e atualizar os seus planos de contingência, os quais devem contemplar os procedimentos a adotar perante um caso suspeito de Covid-19 e a definição de uma área de isolamento.

 

DGS: orientações vão permitir atividades, mas com regras

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, disse, na conferência de imprensa diária sobre a Covid-19, que o documento indica "um conjunto de boas práticas" que vão "permitir todas as atividades para o desenvolvimento harmoniosos e a manutenção dos afetos, mas com regras".

Creio que não vai ser difícil às creches cumprir estas regras", frisou.

Graça Freitas vincou que se tratam de "regras relativamente simples", que não impedem a brincadeira e que "minimizam" o contágio.

Quanto aos rastreios que estão a ser feitos para a reabertura das creches, a responsável disse que estes "ainda não terminaram" e que "há regiões do país onde estão mais adiantados do que noutras", mas que para já foram detetados casos positivos de Covid-19.

Consulte o documento da DGS na íntegra:

As regras da DGS para as cr... by TVI24 on Scribd

Sofia Santana / atualizada às 12:07