Foram detetados em Portugal dois casos da variante brasileira do coronavírus.

Segundo apurou a TVI, os dois casos foram confirmados na região da Grande Lisboa e já foram comunicados às autoridades de saúde.

Os casos foram detetados em Portugal pela Unilabs, que já os comunicou à Direção-Geral de Saúde.

As amostras seguiram para o Instituto dr. Ricardo Jorge, que já confirmou “a receção de duas amostras suspeitas de estarem associados à variante genética do SARS-CoV-2 primeiramente detetada no Brasil”.

O INSA acrescenta que as amostras serão agora analisadas, de forma a concluir se se tratam de facto de casos de covid-19 associados a esta variante.

A Direção-Geral de Saúde mantém a articulação com o INSA, no âmbito da vigilância epidemiológica, e assim que são identificadas variantes que suscitam reforço de monitorização são contactadas as Autoridades de Saúde, de forma a confirmar que o caso está isolado e que todos os contactos estão identificados e em isolamento profilático", informou a DGS.

Esta variante do vírus é considerada mais perigosa, devido à sua elevada capacidade transmissão, mas também por provocar casos ainda mais graves, que exigem a administração de mais doses de oxigénio aos doentes.

Recorde-se que os voos de e para o Brasil estão suspensos desde o final de janeiro, devido ao evoluir da pandemia e do crescimento das novas variantes.

Nos casos de covid-19 em Portugal há uma “progressão da proporção de casos confirmados com a nova variante" associada ao Reino Unido, que tem "maior foco" na região de Lisboa e Vale do Tejo, disse na terça-feira um especialista da DGS, André Peralta.

A variante detetada no Brasil ainda não tinha sido noticiada em Portugal. Especialistas brasileiros sugerem que a variante é mais transmissível.

A Unilabs tem uma rede de mais de 1.000 unidades de atendimento em análises clínicas e outras valências. O grupo Unilabs foi criado em 1987 na Suíça e está em Portugal desde 2006.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.341.496 mortos no mundo, resultantes de mais de 106,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 14.718 pessoas dos 774.889 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Sofia Santana / Atualizada às 21:09