É mais uma consequência Covid-19.  A Conselho Diretivo do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML), constituído pelo Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte (CHULN), Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e Instituto de Medicina Molecular-João Lobo Antunes (IMM-JLA), decidiu suspender temporariamente todas as aulas que impliquem contacto com doentes.

Em comunicado, justifica a decisão com os últimos acontecimentos e “face a uma crescente necessidade de medidas de prevenção face ao Covid-19”.

Acrescentando que se entendeu “ser prioritária a proteção dos doentes que estão quer no CHULN como em outros hospitais afiliados e centros de saúde, bem como de todos os que acorrem a este centro académico, incluindo alunos, docentes, funcionários e restantes profissionais de saúde.”

Assim sendo, nesta fase, “não só as aulas práticas envolvendo doentes ficam suspensas, bem como todas as atividades ou eventos que concentrem mais de 50 pessoas num mesmo espaço.”

“As restantes aulas teóricas e práticas vão manter-se, até novas instruções em contrário”, conclui o comunicado, garantido ainda que a Faculdade de Medicina se apresenta “devidamente apetrechada para acionar um Plano de Contingência em caso de necessidade, em articulação com os seus parceiros.”

/ ALM