Um médico do Hospital de Torres Vedras relatou este sábado à TVI que o Centro Hospitalar do Oeste (CHO) está a funcionar com mais do dobro da capacidade instalada, face ao elevado número de casos registados após o Natal.

O profissional de saúde sublinha que toda a equipa está a trabalhar "sem condições físicas e sem condições humanas", mas adianta que os colegas "estão a prestar cuidados de qualidade a todos os doentes".

Não conseguem, os profissionais do Centro Hospitalar do Oeste, não conseguem abarcar mais doentes, já está mais do que no limite. Posso dizer que mais do que o dobro da capacidade que nós temos".

Não os deixamos, não os abandonamos e não abandonamos o nosso posto de trabalho", diz o médico, em entrevista à TVI.

O Centro Hospitalar do Oeste, revela, está a receber utentes infetados com o novo coronavírus de Lisboa, num momento em que o Hospital de Santa Maria está em rotura e sem capacidade de resposta.

"Isto repete-se, dias e dias, após esta história do Natal". Esta assistência, afirma o profissional, está a ser realizada por um médico e um enfermeiro, que avaliam e fazem a triagem para os prioritários e mais emergentes.

Os mais emergentes entram, os outros, infelizmente, têm de esperar", conta, sublinhando que um utente chegou a ter de esperar sete horas para ser internado no hospital.

A Urgência covid-19 do hospital de Torres Vedras registou, durante sexta-feira à noite, uma fila de onze ambulâncias, apurou a TVI.

A maioria dos doentes nos veículos eram idosos infetados de lares.

Por não haver médicos nem enfermeiros nas instituições, todos os casos são enviados para o hospital.

Ainda assim, na sexta-feira, o CHO conseguiu transferir tanto doentes não covid, como doentes covid para outras unidades, destacando a responsável os cinco doentes covid que foram transferidos de Torres Vedras para a CUF Tejo, em Lisboa, ao abrigo do acordo que o Ministério da Saúde estabeleceu com hospitais privados.

O CHO possui uma capacidade de 102 camas de internamento para doentes covid, em Torres Vedras (66) e Caldas da Rainha (36), cuja lotação "está perto do limite", pelo que voltar a aumentar essa capacidade "é uma hipótese que não está posta de parte", disse a administradora.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais de Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã, e de parte dos concelhos de Alcobaça e de Mafra. Estes concelhos dividem-se entre os distritos de Lisboa e Leiria.

Surto no hospital de Torres Vedras com um total de 157 casos confirmados

O surto de covid-19 no hospital de Torres Vedras registou, nos últimos dois dias, 15 novas infeções, aumentando para 157 o total de casos confirmados, segundo o último boletim epidemiológico deste município.

O surto contabiliza um total de 157 casos confirmados, dos quais 134 estão ativos, 12 recuperaram e 11 morreram, de acordo com o boletim diário.

Baseando-se nos dados reportados pelo delegado de saúde e divulgados no boletim epidemiológico do concelho, fonte oficial do município esclareceu que o total de casos de infeção engloba utentes que foram contagiados quando estiveram internados na unidade por outras doenças, mas que estão a recuperar em casa.

Redação / HCL