O Alentejo registou, na segunda-feira, a primeira morte de uma pessoa infetada com o novo coronavírus responsável pela Covid-19, um idoso de 87 anos que estava internado em Beja, divulgaram esta terça-feira as autoridades de saúde.

O homem, que residia em Beja, morreu na madrugada de segunda-feira no Hospital José Joaquim Fernandes, onde estava internado desde o dia 14 deste mês, informaram a Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo e a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), num comunicado conjunto enviado hoje à tarde à agência Lusa.

Infelizmente, devido à complexidade do quadro clínico", a morte do idoso era "um desfecho previsível", segundo o diretor clínico da ULSBA, José Aníbal Soares, citado no comunicado.

No mesmo comunicado, o presidente do conselho diretivo da ARS Alentejo, José Robalo, refere que a informação sobre a morte do idoso, a primeira na região, será incluída no relatório de situação da epidemia a emitir na quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo informações prestadas esta terça-feira à Lusa pelo gabinete de comunicação da ULSBA, o homem era utente do lar de idosos da Fundação Nobre Freire, de Beja, onde estava a residir quando lhe foi detetada a infeção pelo novo coronavírus, tendo depois sido internado no Hospital José Joaquim Fernandes, onde morreu por volta das 02:00 de segunda-feira.

O gabinete de comunicação da ULSBA, de que faz parte o hospital de Beja, adiantou à Lusa que outros dois idosos utentes do mesmo lar, de 87 e 90 anos, estão também infetados com o novo coronavírus e internados no Hospital José Joaquim Fernandes.

Primeiro óbito no Alentejo mostra que se deve "reforçar a guarda", diz Governo

A primeira morte no Alentejo de um infetado com o novo coronavírus revela que a região deve “reforçar a guarda” contra “um inimigo muito perigoso”, alertou esta terça-feira o secretário de Estado Adjunto e da Defesa.

Esta situação mostra que, apesar de no Alentejo se estar a fazer um excelente trabalho, estamos a lutar contra um inimigo que é muito perigoso, ou seja, temos de continuar a manter e a reforçar a guarda”, disse à agência Lusa Jorge Seguro Sanches.

O governante é o responsável pela coordenação da execução do estado de emergência no Alentejo.

Jorge Seguro Sanches, que realizou esta terça-feira visitas e reuniões de trabalho no distrito de Évora, disse esperar que seja possível, “rapidamente ultrapassar este mau momento” na “vida coletiva” da região e do país.

O governante insistiu ainda no “apelo” para que, no Alentejo, a população continue a encarar a pandemia da Covid-19 com responsabilidade e empenho.

O meu apelo é que, no Alentejo, não se aligeirem todas as obrigações e todas as normas de segurança que nós precisamos para nos defender”, afirmou, sublinhando ser esse “o pedido” que faz aos habitantes locais: “Continuem com esta preocupação em relação a esta questão”.

No Alentejo, há 173 casos de infeção confirmados, segundo o boletim desta terça-feira da DGS, que ainda não inclui a primeira morte na região.

. / CE - Atualizada às 18:30