Esta terça-feira, no "Segunda Vaga", na TVI24, ouvimos as opiniões de Paulo Paixão, presidente da Sociedade Portuguesa de Virologia,  e do médico de saúde pública Francisco Pavão. Na já tradicional "Hora da Verdade", especial covid-19, a jornalista do Observador Sara Antunes de Oliveira explicou se é mesmo verdade que o novo coronavírus teve origem nas vacinas contra a gripe e se foi desse modo que se propagou a todos os cantos do planeta.

Cerca de nove meses depois do primeiro caso de infeção por SARS-CoV-2 ter surgido em Portugal, continuamos incapazes de controlar a pandemia. Espera de o pico da segunda onda pandémica ocorra esta semana, mas as autoridades de saúde desconhecem a origem de 81,4% dos contágios.

A vacina pode ser a tão esperada "luz ao fundo do túnel", como afirma António Costa, mas ainda não existe qualquer plano de vacinação contra a covid-19, em Portugal, nem se sabe quando será realmente aprovado o fármaco que promete ser a "bala de prata" contra o SARS-CoV-2.

Paulo Paixão, presidente da Sociedade Portuguesa de Virologia, considera que as medidas restritivas, impostas com o estado de emergência, terão um efeito efetivo no aparecimento de novos casos de covid-19.

O virologista lembra que não há registo de nenhum país ter sido capaz de achatar ou fazer desaparecer a curva epidemiológica sem medidas restritivas.

País nenhum conseguiu diminuir a curva sem medidas”, lembra.

 

Em Portugal, as autoridades de saúde apenas conhecem a origem de 18,6% dos casos de covid-19.

Paulo Paixão garante que este “é um número perfeitamente anormal”.

O especialista lembra que as equipas de saúde pública sempre tiveram uma escassez de profissionais, que se está a evidenciar num cenário pandémico, tal como a falta de organização institucional nacional.

É um número perfeitamente anormal. É uma questão de organização”, reitera.

 

O presidente da Sociedade Portuguesa de Virologia alertou para elevado risco de transmissão de covid-19 nos ginásios.

Paulo Paixão lembra que um estudo realizado na região de Lisboa alertou para o perigo de contágio nestes locais.

Nos ginásios tem de se ter um cuidado redobrado”, alerta.

 

Tal como o Primeiro-ministro, o virologista acredita que a vacina contra a covid-19 pode ser “uma luz ao fundo do túnel”.

Contudo, Paulo Paixão tem dúvidas de que o fármaco esteja pronto para ser administrado já em janeiro.

O especialista lembra que o processo de criação de uma vacina foi “muito acelerado” e realça que não comum as farmacêuticas apresentarem valores de níveis de eficácia antes dos estudos estarem concluídos.

Está a ser tudo muito acelerado”, explica.

 

Há cerca de um mês, a União Europeia aconselhou que os estados-membros começassem a definir planos de vacinação contra a covid-19.

Na Europa vamos a diferentes velocidades”, disse.

O médico de saúde Pública Francisco Pavão explica que este processo está a decorrer a diferentes ritmos nos países europeus e que Portugal não dos estados-membros mais preparados.

Francisco Pavão garante que um plano de vacinação iria trazer mais confiança aos portugueses.

A confiança numa época de pandemia faz-se pela antecipação”, enaltece.

 

“Hora da Verdade”: a covid-19 surgiu nas vacinas contra a gripe e foi assim que se disseminou?

A "Hora da Verdade" é uma parceria entre a TVI e o jornal de Obervador que visa escrutinar a veracidade de algumas das teorias ou notícias que circulam entre os portugueses.

A edição sobre a covid-19, desta terça-feira, foi analisada a tese que garante que o SARS-CoV-2 estava presente nas vacinas contra a gripe e foi assim que se propagou por todo o planeta.

A jornalista do Observador Sara Antunes de Oliveira garante que esta informação, de acordo com a escala utilizada na “Hora da Verdade”, é “errada” e que se espalhou num vídeo publicado no Youtube, com o título “Pandemics”.

Nuno Mandeiro