Portugal juntou-se aos vários países europeus que já suspenderam a vacina da AstraZeneca, devido a relatos sobre a formação de coágulos sanguíneos.

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, pediu aos portugueses que foram vacinados com a AstraZeneca para se manterem "tranquilos", porque as reações reportadas são "extremamente raras" e nenhuma foi detetada no nosso país.

No entanto, Graça Freitas deixou recomendações e uma lista de sintomas aos quais deve estar atento, se foi vacinado com a AstraZeneca.

"Gostava que se mantivessem atentos. Se sentirem um mal-estar persistente, durante alguns dias, sobretudo se for acompanhado de nódoas negras ou hemorragias cutâneas, não hesite e consulte um médico."

Segundo o coordenador da task-force da vacinação, o almirante Gouveia e Melo, que esteve presente na mesma conferência de imprensa, em Portugal "já foram dadas 400 mil vacinas da AstraZeneca e ficam em armazém cerca de 200 mil". 

Apesar desta suspensão atrasar o início da vacinação dos professores, as autoridades de saúde garantem que não vão estragar-se doses. 

A DGS explicou ainda que, até serem tomadas novas decisões pela OMS e pela Agência Europeia do Medicamento, quem tomou a primeira dose pode ficar a aguardar pela segunda.

“A vacina tem muitas semanas de intervalo entre a primeira e a segunda dose. Neste momento, não estão pessoas em Portugal em condições de lhes ser administrada a segunda dose. Vão ter mais do que tempo para que toda esta situação fique esclarecida. E se tiverem de fazer a segunda dose será feita com toda a segurança."

Entretanto, esta terça-feira, o comité de especialistas da Organização Mundial da Saúde para a segurança de vacinas reúne-se para discutir este assunto.

Catarina Pereira