A PSP deteve esta tarde 10 pessoas que se manifestaram junto ao Conselho Superior da Magistratura, em Lisboa, onde Rui Fonseca e Castro, juiz negacionista da pandemia de covid-19, estava a ser ouvido, disse à Lusa fonte policial.

Os cerca de cem manifestantes concentraram-se ao início da tarde junto do Conselho Superior de Magistratura (CSM), onde o juiz Rui Fonseca e Castro ia ser ouvido pelo instrutor do seu processo disciplinar. O juiz está suspenso preventivamente por incentivar publicamente ao incumprimento das regras para controlar a evolução da pandemia de covid-19

 

A associação Habeas Corpus, da qual o magistrado é a única face visível, convocou uma manifestação de apoio ao juiz para a porta do CSM. Rui Fonseca e Castro foi recebido à chegada com palmas e abraços e com a frase repetida durante vários minutos “Viva o Rui”. O juiz começou a ser ouvido no CSM às 15:00

Os manifestantes mantiveram-se nos arredores do Tribunal e voltaram a juntar-se quando o juiz saiu e quando estava no local um grande aparato policial, com mais de uma dúzia de viaturas da PSP, metade delas carrinhas da unidade especial de polícia.

Todos os manifestantes, que trocaram cumprimentos, abraços e beijos, estavam sem máscara. A Lusa apenas viu uma mulher, enrolada numa bandeira de Portugal, com uma máscara, mas nos olhos.

Os manifestantes mantiveram-se no local até cerca das 17:00, quando o juiz saiu do Tribunal. Durante a manifestação de apoio foram detidas pela PSP várias pessoas.

/ MJC / Atualizada à 19.00