Não é novidade que o leite é uma boa fonte de cálcio, iodo, vitaminas A e B12 e gordura. No entanto, de acordo com os especialistas, é mesmo a gordura do leite que ajuda as crianças a receber as suas necessidades energéticas.

"A gordura é muito importante para as crianças" porque "eles têm necessidades de energia muito altas", explica Lucy Upton, nutricionista pediatra e porta-voz da Associação de Nutricionistas do Reino Unido.

As três principais fontes de energia para as crianças são os laticínios, as proteínas e os carboidratos, e as crianças precisam de significativamente mais energia por quilo, do que os adultos.

"Uma criança de dois anos de idade precisa, em média, de 80 calorias por quilo de peso", explica a pediatra, destacando que os adultos precisam de menos de metade dessa quantidade.

Um estudo recente, citado pela CNN, também descobriu que as crianças que bebiam leite gordo eram menos propensas a ser obesas, do que aquelas que bebiam com pouca gordura.

Também um grupo investigadores canadianos chegou à conclusão que a probabilidade das crianças, que bebem leite gordo, serem obesas era 39% inferior à das crianças que bebem leite com baixo teor de gordura.

Para além do leite magro, os especialistas defendem que o leite para crianças, dos 12 meses aos três anos, deve ser evitado. 

De acordo com uma declaração de consenso divulgada pelas principais organizações de saúde e nutrição dos Estados Unidos, estes tipos de leite têm adição de açúcar, sal e proteína mais baixa do que o leite de vaca comum.

"O leite desnatado também não é recomendado pelos nutricionistas, especialmente em crianças com menos de cinco anos", defende a pediatra, acrescentando que, mesmo em crianças mais velhas, teria que ser "numa base individual".

/ RL