A Câmara do Porto alertou esta quarta-feira para a utilização fraudulenta do nome do município num esquema de burla que tem como alvo os comerciantes, a quem é cobrada uma taxa de 20 euros para inscrição numa plataforma digital.

Numa nota na sua página oficial, a autarquia refere que teve conhecimento de “abordagens fraudulentas” a estabelecimentos comerciais da cidade, que estão a ser interpelados por uma pessoa que se identifica como funcionário da Câmara do Porto, apresentando um cartão falso.

Questionado pela Lusa, o município esclareceu que o alerta surge na sequência de uma queixa apresentada por uma comerciante junto do Gabinete do Munícipe, após perceber que havia sido burlada.

Numa atitude preventiva, a autarquia, que admite que possa haver mais casos, decidiu lançar este alerta, não tendo, contudo, sido apresentada qualquer queixa formal às autoridades competentes.

Segundo a informação obtida pelos serviços municipais, divulgada esta quarta-feira, este elemento propõe o registo numa plataforma digital, alegadamente de iniciativa do município, para promover o estabelecimento comercial.

Aos comerciantes é apresentado um formulário com o logótipo da Câmara do Porto e é cobrada uma taxa de 20 euros pela inscrição.

“Este não é o procedimento do Município do Porto na relação com os estabelecimentos comerciais da cidade, nem a alegada plataforma digital é uma iniciativa dos serviços municipais”, sublinha a autarquia na nota hoje publicada, instando os comerciantes a estarem atentos e reportarem a situação às autoridades competentes em caso de tentativa de burla.

/ BCE