Um homem de 29 anos que tentou matar o ex-padrasto com uma faca, em setembro de 2015, no concelho de Valongo, foi condenado a seis anos de prisão pelo Tribunal São João Novo, no Porto.

Houve intenção de matar porque atingiu órgãos vitais, só não causando a morte à vítima por mero acaso”, sustentou o presidente do coletivo de juízes, durante a leitura da decisão judicial.

O tribunal deu como provado que o arguido esfaqueou o antigo companheiro da mãe, com quem estava desavindo, nas costas e na barriga, deixando-o em estado crítico.

O homem estava em prisão preventiva na cadeia de Custóias, em Matosinhos. No julgamento, justificou-se dizendo que o ex-padrasto perseguira dias antes o irmão de 21 anos com uma faca. Por esse motivo, envolveram-se numa luta, tendo-o então esfaqueado “sem querer”.

Não ficou provado que tenha [vítima] agredido o seu irmão, portanto, não houve aqui atuação em legítima defesa”, considerou o juiz.

Além disso, o magistrado realçou que o arguido não mostrou “sincero arrependimento”.

Redação