O Ministério Público acusou um gerente de uma agência de câmbios em Lisboa do crime de abuso de confiança agravado, por se ter apropriado de quantias de clientes num valor superior a 1,7 milhões de euros.

De acordo com a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), o arguido, gerente de uma agência de câmbios, sediada em Lisboa, cujo objeto era o envio de fundos e a realização de operações de compra e venda de notas estrangeiras ou cheques de viagem, entre 2012 e abril 2013 apropriou-se das quantias entregues à empresa por centenas de clientes para serem transferidas para pessoas residentes no estrangeiro, maioritariamente no Brasil, no montante total de 1.775.448,92 euros.

O arguido encontra-se sujeito a Termo de Identidade e Residência (TIR)

O inquérito foi dirigido pela 3ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, com a coadjuvação da Unidade de Perícias Financeiras e Contabilísticas da Polícia Judiciária.

/ AR