Um homem que filmou menores a manterem atos sexuais em sua casa, em Vila do Conde, distrito do Porto, entre 2014 e 2017, foi hoje condenado a sete anos de prisão.

Dado tratar-se de crimes sexuais, o julgamento, que começou a 19 de fevereiro, decorreu à porta fechada, à exceção da leitura da decisão judicial.

Segundo a acusação, o arguido de 43 anos, reformado por invalidez, instalou em sua casa, nomeadamente na sala e no quarto, câmaras dissimuladas que estavam ligadas a dois gravadores VHS para, assim, filmar os atos sexuais dos menores entre eles ou consigo.

Entre 2014 e 2017, o suspeito, que aliciava os menores com dinheiro, tabaco ou telemóveis, fez seis vítimas entre os 13 e 17 anos, tendo três delas sido filmadas, refere.

Num desses casos, o arguido aliciou um jovem de 15 anos no metro a ter relações sexuais com ele a troco de 50 euros, atos que se repetiram dez vezes, relata a acusação do Ministério Público (MP).

Noutra situação, filmou dois jovens a terem relações sexuais em sua casa, sem que eles soubessem, acrescenta.

Durante as buscas à sua residência, a Polícia Judiciária (PJ) do Porto apreendeu câmaras de filmar, discos externos, cassetes, telemóveis e um computador.