A Polícia Judiciária (PJ) deteve dois presumíveis autores do roubo a um taxista, que acabou sequestrado na mala do próprio veículo, durante uma viagem entre Lisboa e Porto, em dezembro de 2018, anunciou esta quinta-feira fonte policial.

Em comunicado, a Diretoria do Porto relata que os arguidos atacaram o taxista sensivelmente a meio do percurso, na região de Leiria, na madrugada de 11 de dezembro de 2018.

Munidos de uma arma de ‘air soft’ [reprodução de arma de fogo para práticas recreativas], ameaçaram e intimidaram o condutor da viatura, desapossando-o de todos os seus pertences e obrigando-o a deslocar-se até ao Porto”, afirma a polícia.

Poucos quilómetros depois, “a vítima foi obrigada a entrar na bagageira do veículo, tendo ali viajado, encerrada, até à zona de Campanhã [Porto], onde, tal como a viatura foram abandonados pelos autores”, acrescenta.

A PJ sublinha que os arguidos premeditavam já a concretização dos crimes em Lisboa, antes de apanharem o táxi.

Viram-se sem dinheiro que lhes permitisse custear a viagem de regresso ao Porto. Assim, decidiram apanhar o táxi em questão com o objetivo de regressar ao seu destino sem pagar a viagem, fazendo uso, se necessário, de uma réplica de arma de fogo de que eram portadores”, assinala o comunicado.

Os detidos, um desempregado e um empregado da construção civil, ambos com 24 anos de idade e com antecedentes criminais por crimes violentos, aguardavam, a meio da manhã de esta quinta-feira, a sua apresentação a um juiz de instrução para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação entendidas adequadas.