O Tribunal de Santa Maria da Feira condenou esta quinta-feira a sete anos de prisão um homem de 45 anos que estava acusado da autoria de vários assaltos a associações e clubes desportivos nos distritos de Aveiro e Porto.

Durante a leitura do acórdão, o juiz presidente disse que o tribunal se convenceu de que o arguido foi o autor de todos os crimes de furto que estão em causa no processo.

O arguido, que se encontra em prisão preventiva, foi condenado por 12 crimes de furto, um dos quais na forma tentada, nas penas parcelares que variam entre meio ano e três anos e três meses.

O tribunal condenou ainda o arguido por um crime de falsificação de documento na pena de oito meses de prisão.

Em cúmulo jurídico, foi-lhe aplicada uma pena única de sete anos de prisão.

O arguido estava ainda acusado de tráfico de estupefacientes, mas foi absolvido deste crime, por o tribunal ter entendido que a droga encontrada na sua posse se destinava ao seu consumo.

Por esse motivo, foi condenado numa contraordenação por posse de estupefaciente, ficando interdito de frequentar durante três anos a cidade do Porto, porque, segundo o juiz, “é o grande fornecedor de droga aqui da região”.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), os factos criminosos ocorreram entre março e abril de 2020, sendo que quatro dos furtos ocorreram numa só noite na freguesia de Nossa Senhora de Fátima, em Aveiro.

De acordo com a investigação, em 05 de abril de 2020, o arguido assaltou a Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, o Centro Social e Paroquial, o posto médico e tentou assaltar ainda a Igreja, deixando um rasto de centenas de euros de prejuízo em equipamentos furtados e danos causados nas instalações “visitadas”.

O homem, que se fazia transportar numa carrinha que tinha sido furtada no dia anterior de uma instituição de apoio social de Santa Maria da Feira, chegou a ser fotografada por populares que estranharam que a mesma andasse a circular pelo centro da freguesia a horas tardias.

O suspeito foi detido pela GNR poucos dias depois destes assaltos, ao volante da referida carrinha, em Nogueira da Regedoura, em Santa Maria da Feira.

A acusação refere ainda que para que a viatura não fosse reconhecida, o arguido arrancou os autocolantes que a identificavam e colocou um pedaço de fita adesiva preta na matrícula.

Além destes casos, o arguido estava acusado da autoria de assaltos a diversas instituições e clubes desportivos em Águeda, Albergaria-a-Velha, Estarreja, Santa Maria da Feira, Gaia e Vila do Conde, de onde levou objetos e dinheiro.

A GNR recuperou uma viatura, uma pistola de alarme, 10 doses de cocaína, ferramentas utilizadas nos ilícitos, peças de vestuário dos clubes, moedas de coleção, um computador portátil, duas máquinas fotográficas, cinco telemóveis, três relógios e um taco de bilhar.

. / RL