O homem detido na segunda-feira suspeito de ter matado uma mulher, cujo corpo foi encontrado parcialmente carbonizado dentro de um carro em Quarteira, vai aguardar julgamento em prisão preventiva por decisão do Tribunal de Loulé, foi hoje anunciado.

A Procuradoria de Faro do Ministério Público (MP) indicou na sua página na internet que o homem, de 21 anos, foi ouvido em primeiro interrogatório judicial na terça-feira, tendo-lhe sido aplicada a prisão preventiva como medida de coação.

Há suspeitas de o arguido, após manter relações sexuais com a vítima no interior de um veículo automóvel, a ter agredido, amarrado e prendido ao banco traseiro. Depois, terá pegado fogo ao veículo com a vítima presa no seu interior, matando-a”, indicou o MP.

Segundo a procuradoria, a vítima, de 29 anos, “no último ano encontrava-se com o arguido três ou quatro vezes por mês”.

O caso remonta a 27 de agosto, data em que foi localizado o corpo da vítima, parcialmente carbonizado, no interior de um automóvel num local ermo, próximo da cidade de Quarteira, no concelho de Loulé, distrito de Faro, no Algarve.

De acordo com a PJ, a detenção ocorreu na passada segunda-feira, tendo sido possível apurar, durante a investigação, "que a mulher foi agredida, amarrada, amordaçada e morta, tendo sido o cadáver parcialmente carbonizado pela ação de incêndio provocado pelo suspeito”.

O inquérito é titulado pelo MP de Loulé do Departamento de Investigação e Ação Penal de Faro, com a coadjuvação da Polícia Judiciária.