Uma pessoa terá escapado à vingança que o homicida confesso de São Veríssimo, Tamel, em Barcelos, que executou esta manhã, matando quatro pessoas, incluindo uma grávida. O homem, de 63 anos, chama-se Adelino Briote.

Segundo um familiar de duas das vítimas, uma das pessoas que o suspeito ameaçava “escapou” ao macabro crime.

“Foram cinco pessoas que foram depor contra ele no julgamento em tribunal”, disse a testemunha aos jornalistas.

O homicida confesso desejaria “vingar-se” dessas cinco pessoas e estava em liberdade condicional, após ter sido condenado por violência doméstica.

De acordo com a mesma testemunha, o homem tinha agredido vários membros da família.

Em causa está um processo por agressões à filha e à sogra, com um ferro, registadas em março de 2015 e no qual foi, segundo o Jornal de Notícias, condenado numa pena de prisão de três anos e dois meses, suspensa na sua execução.

O suspeito saiu do local do crime, cerca das 15:50, acompanhado pela Polícia Judiciária, e foi transportado para as instalações da PJ de Braga. Só amanhã, sábado, é que será ouvido em tribunal.

Os corpos das quatro vítimas mortais foram também já retirados do local e estão a ser transportados para o Instituto de Medicina Legal de Braga.

O suspeito pelos crimes cometidos “com arma branca”, um homem de 60 anos, já os confessou, disse o comandante do destacamento da GNR de Barcelos.

Numa declaração sem direito a perguntas, o comandante da GNR explicou, ao início da tarde, que as vítimas são um casal (ele com 84 anos e ela com 80), uma mulher com 60 anos e outra com 37.

Segundo o comandante, o primeiro alerta apontava para três mortes por esfaqueamento, mas entretanto foi encontrada uma quarta vítima.

A investigação ficará agora a cargo da Polícia Judiciária.

Cerca de meia centena de pessoas estão concentradas nas imediações da Travessa de São Sebastião, freguesia São Veríssimo, tendo a GNR criado um perímetro de segurança.

O presidente da junta de São Veríssimo, João Abreu, relatou que as quatro pessoas tinham recusado testemunhar a favor do suspeito num outro processo em que foi julgado por agressão à filha.

Veja também:

 
/ CP - Atualizada às 20:25