“Foram iniciados pela Polícia Judiciária 1.335 inquéritos em 2014 contra 1.227 em 2013, 1.074 em 2012 e apenas 909 em 2005”, afirmou Pedro do Carmo no seminário “Olhar comum sobre a criança – Compromisso (com) sentido”, organizado pela Comissão Nacional de Proteção das Crianças e Jovens em Risco.






“Mas se o número de crimes investigados cresceu no último ano também o número de detenções efetuadas pela Polícia Judiciária por abuso sexual de crianças, pornografia de menores e violação de menores aumentou substancialmente, passando de 140 em 2012, 97 em 2013 para 189 em 2014”, sublinhou.




“Por um lado, a aproximação do número de crimes participados dos efetivamente cometidos devido a uma maior proatividade das autoridades e também de uma maior consciencialização da comunidade” e, por outro lado, deve-se “também à persistência do fenómeno” e à sua dimensão de complexidade.