Parece contraditório, mas Cristiano Ronaldo confessa que a vontade de aprender o fez faltar muitas vezes às aulas... para ver treinos de atletismo.

Sempre gostei do mundo do atletismo. Eu faltava à escola para ir ver o atletismo do Sporting. Faltava e tinha castigos, porque faltava para ir ver os treinos do atletismo do Sporting. Na altura do Obikwelu e de outros nigerianos. O Sporting tinha uma escola de atletismo top”, recorda Cristiano Ronaldo, numa entrevista exclusiva à TVI, cuja primeira parte foi apresentada esta terça-feira, no Jornal das 8.

Nessa altura, quando ainda era menino, não sonhava chegar tão alto, assume. Mas o sucesso, assume também, sabe-lhe bem.

Eu nunca pensei ganhar uma Bola de Ouro, quanto mais duas, três, quatro ou cinco. Mas se me perguntas se gostava de ganhar, não vou ser hipócrita e dizer que não. Claro que gostava. Todos os anos quero ganhar a Liga dos Campeões, o campeonato e a Bola de Ouro. E trabalho para isso. A questão é essa: eu trabalho sempre com o intuito de ganhar coisas. Troféus coletivos para chegar depois aos individuais. Essa é a minha maneira de ver o futebol e a minha motivação para me levantar de manhã.”

 

Não sei se é a palavra correta. Eu sou uma pessoa obcecada pelo sucesso, no bom sentido da palavra. Porque levanto-me todos os dias com o intuito de ser um grande profissional e conquistar coisas, porque é o meu trabalho. Obviamente que se não ganhar, o mundo não acaba. Mas acho que estou sempre bem colocado para ganhar”, acredita.

VEJA TAMBÉM:

Na entrevista conduzida por Sousa Martins, Cristiano Ronaldo admitiu que lhe custa falar do caso Mayorga. Um caso que tornou, segundo o próprio, o ano de 2018 no mais difícil da sua vida.

2018 foi o ano mais difícil para mim em termos pessoais. Quando as pessoas metem a tua honra em causa, isso dói. Dói muito. Principalmente, porque tenho uma família grande, tenho uma senhora e um filho inteligente que já percebe.”

 

Foi um ano difícil. É um caso sobre o qual não me sinto confortável em falar, mas uma vez mais foi provado que eu era inocente. O que me deixa orgulhoso, mas foi muito duro.”

LEIA AINDA:

Na mesma entrevista, o craque da Juventus e da Seleção Portuguesa falou da saída do Sporting e do interesse de outros clubes. O jogador diz que o jogo de inauguração do Alvalade XXI, frente ao Manchester United, só fez acelerar um interesse que já existia por parte dos Red Devils.

As pessoas acham que eu saí do Sporting por causa desse jogo, mas não é bem assim. As coisas não estavam tratadas, mas estavam apalavradas, até com outros clubes.”

Foi só a primeira parte da entrevista, mas Cristiano Ronaldo falou também do fim da carreira e admitiu que pode pendurar as chuteiras já no próximo ano, “mas também posso jogar até aos 40 anos, ou 41”. “Não sei, o que eu digo sempre é para desfrutar do momento. O presente é excelente e tenho de continuar a desfrutar”, remata.

/ MM