Um tribunal de Los Angeles determinou esta quinta-feira que o tripulante português Jorge Teixeira, suspeito de molestar sexualmente uma passageira no navio em que trabalhava, aguardará julgamento em prisão preventiva sem direito a caução.

Um juiz federal acusou Jorge Teixeira de assédio sexual agravado e marcou o julgamento para 30 de Março.

Caso seja considerado culpado, Jorge Teixeira pode ser condenado a uma pena que vai até prisão perpétua.

O português de 38 anos foi detido segunda-feira, quando o navio Coral Princess atracou no porto de Los Angeles, nos Estados Unidos.

A vítima, uma mulher de 42 anos, queixa-se de ter sido molestada sexualmente pelo chefe de mesa Jorge Teixeira.