O jovem esfaqueado quinta-feira na freguesia da Damaia, Amadora, só irá regressar à escola, a secundária Dr. Azevedo Neves, quando as circunstâncias do incidente forem apuradas, disse à Lusa o presidente do conselho executivo.

Segundo José Biscaia, o aluno de 15 anos foi abordado por dois rapazes de outro estabelecimento de ensino (já identificados) no caminho para casa, na hora de almoço, e acabou por ser agredido no rosto e num braço com uma faca.

«Não foi à porta da escola, como foi noticiado. O aluno já estava mais perto de casa do que da escola quando foi atacado e fugiu para cá, que é a instrução que todos recebem dos directores de turma e porque sabia que o iriam ajudar», explicou, admitindo a proximidade com alguns bairros considerados problemáticos.

Aluno esfaqueado junto a escola na Damaia

«Veio a correr e até às imediações da escola deve ter demorado entre quatro a seis minutos. Prestámos logo os primeiros socorros e chamámos o 112 e a Polícia», acrescentou.

De acordo com José Biscaia, o jovem está bem de saúde e em casa, onde irá permanecer «até se saber efectivamente o que se passou».

Entre as hipóteses colocadas pelas autoridades, apontou o responsável, está a de tentativa de assalto e a de eventuais desentendimentos relacionados com «questões de namorada».
Redação / CP