Até ao final da semana, os ministérios da Defesa e das Finanças deverão assinar um acordo para regularizar as dívidas do Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA) aos prestadores de saúde.

O plano prevê um conjunto de medidas para pôr em ordem a dívida acumulada num prazo de três anos, incluindo uma primeira transferência já este ano.

O anúncio da assinatura deste memorando surge depois da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP)  ter alertado para a falta de pagamentos reiterada por parte do Instituto.

A situação arrasta-se há ano e meio e as dívidas ultrapassam já os 90 milhões de euros.

Face a esta situação, o grupo Lusíadas Saúde deverá suspender a partir desta terça-feira a convenção que permite aos militares receber tratamento nas unidades de saúde.

De acordo com a Associação de Oficiais das Forças Armadas, os militares estão "zangados" e temem que mais unidades de saúde privadas possam vir a suspender os acordos que mantêm com o IASFA por falta de pagamento das dívidas.