A Comissão de Trabalhadores (CTAA) e o Sindicato dos Trabalhadores Civis das Forças Armadas e Empresas de Defesa (STEFFAs) criticaram "manobras do poder político" que geram "instabilidade" no Arsenal do Alfeite, que nomeia esta sexta-feira a nova administração.

À parte das avaliações que podem, e devem, ser feitas sobre o trabalho realizado pelas últimas administrações da Arsenal do Alfeite, SA, o certo é que é a segunda vez consecutiva, em poucos anos, que uma administração não cumpre o seu mandato", sublinham a CTAA e o STEFFAs num comunicado dirigido aos trabalhadores e hoje divulgado.

Segundo o texto, a "enorme instabilidade causada por estas constantes manobras do poder político" espelha-se em "problemas concretos", tais como "a paragem do processo de admissões, desesperadamente necessário para a sobrevivência do Estaleiro e pelo qual os trabalhadores tanto lutaram".

O Arsenal do Alfeite substitui em Assembleia Geral os membros dos Conselhos de Administração na sequência do anúncio feito pelo Ministério da Defesa, a 7 de maio, de escolha de uma nova administração visando uma "reorientação" do estaleiro que passará pela sua internacionalização.

Recentemente, a 13 de junho, o Governo avançou o nome de José Miguel Antunes Fernandes para a presidência do Arsenal do Alfeite e Marco Costa Ferreira para presidir à idD - Plataforma das Indústrias de Defesa Nacionais (a nova 'holding' da Defesa).

. / HCL