A Agência Portuguesa do Ambiente vai fazer, na quarta-feira, uma derrocada controlada de arribas na zona nascente da praia Maria Luísa, no concelho de Albufeira, numa operação tutelada pela Administração da Região Hidrográfica do Algarve.

Foi na praia Maria Luísa que, em agosto de 2009, morreram cinco pessoas em consequência da queda uma arriba, risco que a Administração da Região Hidrográfica do Algarve procura todos os anos minimizar com a realização de derrocadas controladas antes do início da época balnear.

Segundo a Agência do Ambiente “foram registados 30 desmoronamentos nas arribas do litoral do barlavento do Algarve, desde 1 de julho de 2016, 13 dos quais precisamente na praia Maria Luísa, na sequência de tempestades do quadrante sueste que se fizeram sentir durante o inverno e primavera”.

As operações, a realizar com recurso a máquina giratória de 12 toneladas, prolongar-se-ão até ao dia 28 de abril”, precisou a Agência do Ambiente em comunicado.

A Agência acrescentou que, “no total, no Algarve, foi afetada uma frente de mar de cerca de 160 metros”.

A Agência Portuguesa do Ambiente, através das ARH, efetua regularmente derrocadas controladas como a de que hoje se dá notícia. Trata-se de uma prática preventiva que permite aumentar o nível de segurança de pessoas e bens pois a estabilidade de arribas é imprevisível, fruto da instabilidade natural destas estruturas”, explicou a Agência do Ambiente.