Noah, o menino de dois anos que foi encontrado com vida, esta quinta-feira, depois de 35 horas desaparecido, vai permanecer no hospital durante pelo menos mais um dia, para observação.

A diretora clínica do hospital para onde Noah foi transportado avançou que o menino deu entrada de ambulância, acompanhado pelo pai. Apresentava ferimentos ligeiros - nomeadamente arranhões - mas foi estabilizado e recebeu soro.

"Noah está desidratado e com algumas escoriações", disse a diretora clínica do Hospital Amato Lusitano, Eugénia André, adiantando que o menino ainda não terá alta esta sexta-feira.

Surpreende-me. Podia ter vindo muito pior. Teve sorte", acrescentou Eugénia André.

Segundo o hospital, a família está agora a receber apoio psicológico. Já o menino encontra-se "consciente, lúcido e bem-disposto" e ficou internado por "precaução" e "para estabilizar um quadro de desidratação".

A criança encontra-se consciente, lúcida, colaborante e bem-disposta, apresentando um quadro de desidratação, devido ao longo período em que esteve sozinha. Deste modo, ficará internada por precaução e para estabilizar esse mesmo quadro de desidratação", disse a diretora clínica do Hospital Amato Lusitano, Eugénia André.

O menino de dois anos "dormiu tranquilamente", já comeu e está a reagir bem.

A criança não está chorosa ou deprimida. Isso é um bom sinal", disse a responsável do hospital Amato Lusitano.

Noah foi encontrado após um alargamento das buscas "de fora para dentro, com recurso a veículos todo o terreno". Numa conferência feita durante a tarde, o responsável pela operação disse que o "esforço das buscas" incidiu numa área onde foi encontrada uma bota e uns calções de criança, que fica a cerca de 1.300 metros do sítio onde já tinha sido encontrado uma camisola de criança.

Segundo Jorge Massano, nas operações estiveram envolvidos 127 elementos, entre GNR, bombeiros, proteção civil municipal, sapadores florestais e voluntários, com apoio de equipas cinotécnicas, drones e mergulhadores, que estão a vistoriar poços e linhas de água.

A criança terá desaparecido na quarta-feira da casa dos pais, situada a cerca de 1,5 quilómetros do núcleo central de Proença-a-Velha, entre as 05:00 e as 08:00.

Rafaela Laja