As buscas para encontrar o menino com menos de três anos que se mantém desaparecido desde quarta-feira em Proença-a-Velha, Castelo Branco, foram reforçadas e mobilizavam às 12:00 cerca de 127 efetivos, ‘drones’ e equipas cinotécnicas.

O número de operacionais deverá ser reforçado ao longo do dia. Até às 12:00, estavam envolvidos nas operações 127 elementos, entre GNR, bombeiros, proteção civil municipal e sapadores florestais, explicou o mesmo responsável, numa conferência de imprensa em Proença-a-Velha, localidade onde reside a família da criança e onde aconteceu o desaparecimento.

O capitão Jorge Massano disse que o perímetro das buscas foi alargado, mas ainda na zona de Proença-a-Velha, no concelho de Idanha-a-Nova, distrito de Castelo Branco.

Até ao momento, não foi possível encontrar a criança”, disse Jorge Massano.

À TVI, um popular disse que foi encontrada uma peça de roupa que se acredita pretencer ao menino, a informação foi confirmada esta quinta-feira pelas autoridades.

Também a GNR adianta que foram encontradas pegadas de uma criança "ou coincidentes com o tamanho que indica que será de uma criança", "muito próximo do local onde foi encontrada peça de roupa e onde terá sido encontrada a cadela que supostamente terá acompanhado a criança no seu desaparecimento".

É nesse setor que estamos a exercer esforços neste momento, a cerca de dois quilómetros", frisou.

Este local fica a cerca de dois quilómetros da casa da criança.

Esse local é relativamente perto de uma linha de água, pelo que foram destacados mergulhadores da GNR para o local, para passarem a pente fino os poços na zona.

Os mergulhadores da GNR estão neste momento no local. Uma das missões noturnas foi também o reconhecimento da área e verificámos alguns pontos de água. Serão feitos esforços nesse sentido", disse o porta-voz da GNR.

A GNR refere ainda que há alguns poços ao longo do terreno, alguns sem vedação. 

Na quarta-feira, Jorge Massano disse à Lusa que o alerta para o desaparecimento da criança foi dado às 08:30 e que levou à montagem de uma operação de busca e resgate.

Segundo este responsável, o dispositivo foi reforçado ao longo do dia e inclui ‘drones’, equipas cinotécnicas, militares da GNR e alguns populares, com as buscas a decorrerem numa área "bastante alargada" daquela localidade.

De acordo com a mesma fonte, o menino, com idade compreendida entre "os dois e os três anos", terá desaparecido de casa e o alerta foi dado pelos pais, desconhecendo-se as circunstâncias do sucedido.

Além dos militares da GNR, a Polícia Judiciária também está no local, acrescentava.

Idanha-a-Nova disponibiliza apoio psicológico à família de menino desaparecido

A Câmara de Idanha-a-Nova tem no terreno meios humanos e técnicos para ajudar nas buscas ao menino que está desaparecido em Proença-a-Velha e já disponibilizou apoio psicológico à família, disse à agência Lusa o presidente do município.

Enquanto responsáveis da proteção civil, estamos desde a primeira hora no terreno para coordenar com as restantes autoridades tudo o que é preciso para estas buscas. Naturalmente, também estamos a acompanhar a família, colocando à disposição os serviços de apoio psicológico da autarquia", apontou Armindo Jacinto.

O menino de dois anos está desaparecido desde a manhã de quarta-feira e, apesar de as autoridades terem montado uma operação de buscas, cujos meios têm sido reforçados, até às 11:00, os esforços têm-se revelado infrutíferos.

Frisando a "enorme preocupação" e o desejo de encontrar a criança bem e de saúde, o autarca reiterou tudo será feito para ajudar quem está a viver este momento "tão difícil".

Com uma operação no terreno que já envolve cerca de 100 pessoas - entre autoridade, elementos de proteção civil e populares que se associaram às buscas - o município também está assegurar as questões relacionadas com a logística e tem no terreno meios técnicos e humanos para apoiar as operações.

Rafaela Laja