A reabertura da restauração vai arrancar no dia 5 de abril, iniciando-se pelas esplanadas e com o limite máximo de quatro pessoas, disse esta quinta-feira o primeiro-ministro.

António Costa precisou que, a 5 de abril, “poderão reabrir ao público as esplanadas de restaurantes, cafés e pastelarias”, mas “não podendo ter mais de quatro pessoas em conjunto”.

A próxima etapa de reabertura da restauração está marcada para 19 de abril, dia a partir do qual a restauração passa a poder voltar a ter clientes no interior, com um máximo de quatro pessoas, enquanto nas esplanadas o limite aumenta para seis pessoas, até às 22:00 ou 13:00 aos fins-de-semana e feriados.

Nestas duas fases, a restauração terá ainda de funcionar com restrições de horários, o que deixará de acontecer a 3 de maio, data a partir da qual o plano do Governo prevê que o número máximo de pessoas no interior dos restaurantes e pastelarias suba para seis e o das esplanadas para 10.

O plano de desconfinamento a “conta-gotas”, como António Costa o classificou por diversas vezes, permite a partir de 19 de abril a realização de eventos como casamentos e batizados, mas limitando o número de pessoas a 25% da lotação do espaço.

Duas semanas depois, em 3 de maio, a lotação deste tipo de eventos aumenta para 50% do número de lugares do espaço em causa.

Ainda que considere que o plano é muito “gradual” e prolongado, o primeiro-ministro avisou que se a evolução da pandemia (em termos de novos contágios e de novos casos de covid-19) chegar “à zona vermelha”, será necessário regredir, porque, adiantou, o número de contágios (Rt) não poderá ser superior a 1.

/ CP