As esplanadas já estão abertas, os ginásios voltaram a funcionar (para já ainda sem aulas de grupo), as lojas com menos de 200 metros e com porta para a rua também já podem receber clientes no seu interior, já se pode ir aos museus e às feiras. Está em marcha a segunda fase do desconfinamento em Portugal mas, avisam as autoridades, mais do que nunca, é preciso não descurar as regras de segurança.

"Isto está longe de acabar", avisa o médico Bernardo Gomes, especialista em Saúde Pública. "Ainda não é altura para facilitarmos." Em declarações à TVI24, este médico afirma que o mais importante agora é que cada cidadão seja responsável e que cumpra as regras, para que o desconfinamento se faça em segurança.

Estes são os principais cuidados a ter:

1. Ao ar livre é sempre melhor

"Neste momento estamos numa fase determinante que é a conquista do ar livre. Grande parte da prevenção passa por estarmos em sítios ventilados", diz Bernardo Gomes. Ir a uma esplanada ou praticar atividade física ao ar livre é sempre melhor do que estar em locais fechados, sobretudo se a ventilação não for adequada.

2. Escolher com quem se vai tomar um café

O médico afirma que quando nos sentamos em frente de alguém a comer e a conversar - e, portanto, sem máscara - estamos a comprometer-nos com aquela pessoa: "Esta é uma situação de grande risco. É como estivéssemos a convidá-la para a nossa casa, é mesmo um compromisso." Por isso, é preciso escolher muito bem com quem se vai tomar um café. O ideal, para já, é ficarmos pela família e pessoas que já fazem parte da nossa "bolha".

3. Um amigo de cada vez e com intervalos

Estamos com saudades dos nossos amigos e queremos conviver mas é importante lembrar que, neste momento, só são permitidos grupos de quatro pessoas em esplanadas. Não só devemos estar com poucas pessoas de cada vez como continua a ser importante manter o número de contactos o mais reduzido possível. 

Bernardo Gomes aconselha a "não alargarmos muitos os círculos sociais em que nos movemos". A saída da bolha deve ser feita lentamente: uma pessoa de cada vez e sempre com intervalos, aconselha este especialista. "Quando estamos com alguém fora do nosso círculo social não devemos estar com mais ninguém nos sete dias seguintes", diz.

4. Usar máscara 

O uso de máscara em espaços públicos continua a ser obrigatório, incluindo ao ar livre. Nas esplanadas, uma vez que as pessoas sem sentam com alguma proximidade e estão a conversar, é importante manter a máscara na cara. Esta só deve ser retirada para comer ou beber. 

Nos ginásios, porque são espaços fechados e nem sempre com uma ventilação adequada, Bernardo Gomes aconselha o uso de máscara, mesmo quando se está a treinar. 

5. Lavar as mãos

Já nem deveria ser preciso dizê-lo: lavar bem as mãos e com frequência é uma das principais formas de nos defendermos da covid-19. O sabão rompe a membrana de gordura que os vírus possuem, fazendo com que "morram". Neste momento, todos os estabelecimentos disponibilizam desinfetante para as mãos.

6. Manter a distância 

Desde o primeiro dia da pandemia que sabemos que a forma mais eficaz de nos protegermos é mantermos a distância em relação aos outros. Esse conselho mantém-se atualizado. É importante respeitar o distanciamento de segurança nos locais públicos. Nas esplanadas, manter a distância em relação aos outros grupos. Nos ginásios, manter uma distância de pelo menos três metros entre os praticantes, seja em espaços abertos ou fechados. O contacto físico entre os praticantes e treinadores também deve ser evitado, a não ser que seja absolutamente necessário. 

7. Beber com moderação

Porque as bebidas alcoólicas são prejudiciais à saúde mas também porque todos sabemos como o álcool nos faz ficar mais descontraídos e isso significa que mais facilmente nos vamos desleixar no cumprimento das regras e esquecer de manter a distância ou de colocar a máscara.

8. Evitar partilhar comida, bebidas e objetos

É verdade que partilhar uma refeição com alguém já é um risco enorme, porque as pessoas estão muito próximas e não conseguirão evitar que as partículas se espalhem, mas não vale a pena aumentar ainda mais a possibilidade de contágios. Por isso, nos cafés e restaurantes é necessário uma atenção especial: nada de partilhar petiscos, de usar o mesmo talher, de experimentar a bebida da garrafa de outra pessoa. 

9. Atenção aos horários

Atualmente só estão abertos os cafés com esplanadas ou que vendam ao postigo. Os cafés e pastelarias fecham às 22:30 nos dias de semana e devem fechar às 13:00 durante os fins de semana e feriados.

Maria João Caetano