Um veículo pesado de mercadorias despistou-se esta segunda-feira em Setúbal e entrou numa zona de sapal. A Autoridade Marítima está ainda a conduzir os trabalhos de limpeza para evitar a contaminação do rio Sado.

Face à possibilidade de contaminação do sapal e, consequentemente, do rio Sado, a Autoridade Marítima em Setúbal deslocou para o local uma patrulha do comando local da Polícia Marítima e técnicos da Capitania do Porto.

O camião transportava 25 toneladas de cimento ensacado, que já estão a ser removidas por uma empresa de combate à poluição, contratada para o efeito", disse à Agência LUSA, o comandante da Capitania do porto de Setúbal, Luís Lavrador.

Para o comandante do porto de Setúbal, com a intervenção da empresa especializada, o "risco de poluição do rio Sado está controlado", mas admite que as operações de limpeza não deverão ficar concluídas durante o dia de hoje.

Algumas sacas de cimento rebentaram, mas não caíram dentro de água. Neste momento a empresa contratada está a tentar fazer algumas barreiras de contenção, para evitar que a água do rio Sado chegue ao cimento com a preia-mar", acrescentou Luís Lavrador.

De acordo com um comunicado da Autoridade Marítima, "a GNR tomou conta da ocorrência no que respeita ao acidente rodoviário, assumindo a Polícia Marítima a responsabilidade de averiguar a possibilidade de contaminação".

O motorista do camião foi transportado pelo Instituto Nacional de Emergência Médica, em situação estável, para o Hospital de S. Bernardo, estando uma equipa da Polícia Marítima no local do acidente.

Redação