A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro deteve um programador informático de Águeda que se dedicava à importação e distribuição de vídeos e imagens contendo crianças em práticas sexuais explícitas com adultos, informou hoje aquele órgão de polícia criminal.

Em comunicado, a PJ esclarece que o suspeito, de 28 anos, está “fortemente” indiciado pela prática do crime de pornografia de menores agravado, adiantando que a investigação surgiu no âmbito do combate internacional à pornografia infantil em articulação com autoridades estrangeiras.

Na sequência de busca domiciliária realizada na residência do suspeito, situada no concelho de Águeda, foram apreendidos "milhares de ficheiros" informáticos (imagens e vídeos) de pornografia infantil, "muitos deles de conteúdo violento, considerando quer os atos reproduzidos, quer a tenra idade das vítimas", bem como os equipamentos informáticos usados na prática criminosa.

Os indícios até ao momento recolhidos pela investigação permitem concluir que o suspeito se tem dedicado ativamente à importação e distribuição de vídeos e de imagens de cariz pornográfico, através de redes de partilha de pornografia infantil”, refere a mesma nota.

A PJ refere que o suspeito realizava com regularidade a formatação dos equipamentos, por forma a apagar o rasto digital da sua atividade delituosa, adiantando que o seu “modus operandi” denota “evidente grau de sofisticação”, fruto dos conhecimentos “avançados” de informática, adquiridos no âmbito da sua formação académica.

Segundo a PJ, o detido foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicadas a medida de coação de apresentações diárias no posto policial da área de residência.

O arguido, que está ainda proibido de usar equipamentos informáticos ou com acesso à Internet, terá também de se sujeitar a tratamento psiquiátrico, em instituição adequada.

/ BC