A PSP deteve três jovens suspeitos de 18 crimes de roubo em vários concelhos do distrito de Lisboa que combinavam encontros com pessoas que tinham objetos à venda em plataformas eletrónicas, fazendo-se passar por potenciais compradores.

Em comunicado, a PSP diz que as detenções ocorreram na semana passada e que os suspeitos, com idades entre os 17 e os 19 anos e que acabaram por ficar em prisão preventiva, estão também indiciados numa série de outros crimes violentos relacionados com roubos a estafetas de empresas de comércio online de bens de restauração.

Após a detenção, as autoridades fizeram cinco buscas domiciliárias, nas quais apreenderam uma arma branca, uma consola de videojogos que tinha sido roubada, três malas de marcas “de considerável valor”, vários telemóveis (pelo menos dois deles roubados por este grupo) e vários objetos em ouro.

Em comunicado, a PSP explica que o grupo atuava na zona de Lisboa, mas também nas comarcas de Loures, Amadora, Seixal e Setúbal.

Todos os jovens tinham antecedentes criminais e um deles estava com pena suspensa depois de ter sido condenado por crimes de roubo.

A PSP relata que o grupo, entre os meses de dezembro de 2020 e março deste ano, foi responsável por vários crimes de roubo em vários concelhos da região de Lisboa.

O ‘modus operandis’ dos suspeitos passava por combinar encontros com pessoas que tinham objetos à venda através de plataformas eletrónicas de comércio de bens, fazendo-se passar por potenciais compradores e criando as condições de oportunidade para, selecionando os locais, acabar por roubar aos vendedores os bens que diziam querer comprar, nomeadamente telemóveis, consolas de videojogos e malas.

Para a prática destes crimes chegaram a utilizar uma arma de fogo numa das ocasiões, sendo que na maioria das restantes utilizaram armas brancas. A PSP diz ainda que, numa das vezes, agrediram uma das vítimas no olho, nas costas e abdómen, deixando-a em estado grave.

Os suspeitos estão também fortemente indiciados numa série de outros crimes violentos, designadamente relacionados com roubos a estafetas de empresas de comércio online de bens de restauração, em que após encomendarem a refeição, esperavam pela chegada do estafeta, acabando por roubar a encomenda.

Em comunicado, a PSP aconselha os cidadãos que tenham objetos à venda em plataformas online que, ao combinarem encontros com os compradores, tentem, sempre que possível, encontrar-se nas imediações de esquadras ou em locais “que comprovadamente garantam a segurança”.

Aconselha ainda todos os profissionais que trabalham no ramo das entregas de comida ao domicílio para, em caso de qualquer circunstância que os faça suspeitar de um possível assalto, contactarem a esquadra mais próxima ou, em alternativa, ligarem para o número de emergência.

/ JGR