A Polícia Judiciária anunciou hoje a detenção do presidente de direção e da coordenadora de uma instituição de solidariedade social, suspeitos dos crimes de peculato, administração danosa e burla.

Em comunicado, a PJ, através da Diretoria do Norte, esclarece que as detenções ocorreram “no âmbito de investigação a práticas de peculato, em inquérito titulado pelo Ministério Público de Vila Nova de Gaia”.

De acordo com os elementos recolhidos na investigação, “os suspeitos, no período compreendido desde fevereiro de 2010, dirigiram a referida instituição apropriando-se de montantes que ascendem a milhares de euros, provenientes de donativos angariados junto de empresas e particulares, os quais utilizaram para pagamento de despesas pessoais, efetuando assim gastos não relacionados com o objetivo da instituição, cujos interesses deveriam defender”.

A PJ salienta que, “apesar de já anteriormente terem sido alvo de ação da justiça e haver ocorrido o cancelamento do registo dos estatutos e a cessação do seu reconhecimento como pessoa coletiva de utilidade pública”, a investigação permitiu apurar que “os agora detidos têm mantido, desde essa altura, a mesma atuação, continuando a exercer a atividade de dirigentes da associação e adotando a mesma conduta criminosa”.

Com idades de 70 e 75 anos, os detidos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.