Uma mulher de 58 anos foi detida em Santo Tirso pela GNR na sequência de uma investigação que permitiu desmantelar uma fábrica de contrafação e apreender cinco mil peças de roupa de valor superior a 200 mil euros.

Em comunicado, o Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal de Santo Tirso, deu conta de detenção, na quinta-feira de "uma mulher de 58 anos, por produção e venda de roupa contrafeita, no concelho de Santo Tirso".

A detenção decorreu no âmbito de uma investigação pelo crime de produção e venda de roupa contrafeita, que decorria há cerca de seis meses, na região do Vale do Ave, em que a suspeita vendia a roupa para lojas da especialidade, como sendo artigos originais".

Os militares deram cumprimento "a dois mandados de busca em duas empresas" utilizadas "como plataforma de produção de roupa contrafeita e venda para todo o território nacional", a partir de um edifício "obsoleto e que, visto de fora, não indiciava que tinha uma fábrica no seu interior", acrescentou fonte da GNR contactada pela Lusa.

Segundo a guarda, no seguimento das diligências foram "apreendidas cinco mil peças de roupa, avaliadas num valor de mercado superior a 200 mil euros", além de "cerca de 25 mil estampilhas referentes a várias marcas registadas, várias mesas de corte e costura, material de embalamento e uma viatura".

A detida, que se recusou a colaborar com a investigação, desconhecendo, por isso, a GNR, "quantas pessoas trabalhavam na fábrica", foi constituída arguida e sujeita à medida de coação de termo de identidade e residência.