A Polícia Judiciária (PJ) deteve uma mulher indiciada por se apoderar de pelo menos quatro milhões de euros pertencentes a uma idosa a quem dava apoio domiciliário enquanto assistente de enfermagem, informou hoje a Diretoria do Norte daquela autoridade.

Em comunicado, a PJ/Norte conta que a suspeita, de 62 anos, começou a “controlar e dominar todos os aspetos da vida” da mulher, “já com avançada idade”.

[Era] por isso conhecedora do seu vasto património financeiro, o qual começou a transferir para a sua esfera de disponibilidade, até ao momento em que a família da vítima tomou conhecimento desses factos e os denunciou. [A suspeita] logrou apoderar-se de avultadas somas em dinheiro num total até agora apurado em cerca de quatro milhões de euros”.

As contas são da polícia.

Para a prática do crime de burla por que está indicada, a assistente de enfermagem “aproveitou-se do debilitado estado de saúde e de consciência da vítima, em razão da avançada idade e condição médica devidamente diagnosticada e medicada”.

A detida, residente em Gondomar, vai ser presente a primeiro interrogatório para aplicação de medidas de coação tidas por adequadas.