Foi detido em flagrante delito um agente da Polícia de Segurança Pública (PSP) enquanto transportava 90kg de haxixe do Algarve para o Porto.

A TVI sabe que o agente de autoridade estava a ser investigado por tráfico de estupefacientes, há mais de um ano, pelo Departamento de Investigação Criminal na PSP. 

O elemento policial em causa, chama-se Bernardino Mota, tem 45 anos, e foi detido no regresso ao Porto, depois de uma viagem até ao Algarve para ir buscar um carregamento de três fardos de haxixe vindos de Espanha, cerca de 249 mil doses. No âmbito deste processo, foram ainda detidas outras duas pessoas que se encontravam dentro da viatura.

Bernardino exercia funções na Esquadra de Gondomar, no Porto, e levantou suspeitas há vários anos devido ao estilo de vida que levava, nomeadamente, dos bens que foi adquirindo. O agente também chegou a pertencer à Esquadra de Valbom. 

Na sequência da intervenção de ontem foram efetuadas seis buscas domiciliárias e duas não domiciliárias, que culminaram na apreensão de mais 1000 doses de estupefaciente, 15 000€ em dinheiro, 4 viaturas utilizadas pela organização para o desenvolvimento da sua atividade e outros artigos relevantes para o inquérito em curso,

Das diligências realizadas nesta segunda-feira resultou a detenção de mais um elemento do grupo, um homem de 40 anos e a constituição de arguido de outro homem de 37 anos de idade.

A TVI sabe que, numa fase inicial, a investigação começou por estar a cargo da Divisão de Investigação do Porto, mas dada a gravidade dos factos e pela necessidade de uma investigação mais aprofundada, esta acabou por ser transferida para as mãos do Departamento de Investigação Criminal da PSP.

Os passos deste agente foram seguidos e vigiados ao pormenor durante pelo menos anos e meio. Foram realizadas várias buscas domiciliárias, na cidade do Porto, e, ao que tudo indica, a PSP apreendeu mais droga, o que poderá levar a que o produto estupefaciente apreendido seja superior a 100kg.

Nesta operação foram empenhados 45 polícias e participaram na investigação o Departamento de Investigação Criminal, o Comando Metropolitano do Porto, o Comando Metropolitano de Lisboa, o Comando Distrital de Faro e o Grupo de Operações Especiais, tendo ainda colaborado o Corpo Nacional de Polícia do Reino de Espanha.

Os detidos serão presentes amanha a primeiro interrogatório judicial para determinação das medidas de coação a aplicar.