As quatro pessoas que estavam em isolamento profilático no Parque Saúde de Lisboa, devido ao surto do novo coronavírus (2019-nCoV) na China, foram esta quinta-feira transferidas para o Hospital Pulido Valente, onde estão internados voluntariamente mais 16 cidadãos.

A informação foi avançada pela diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, numa conferência de imprensa, em Lisboa, onde foi feito novo balanço sobre a infeção pelo '2019-nCoV'.

Graça Freitas disse que a transferência dos quatro cidadãos para o Hospital Pulido Valente, igualmente em Lisboa, foi efetuada a pedido dos próprios, que "manifestaram a intenção" de ficar nas mesmas instalações que as restantes 16 pessoas.

O grupo, que inclui 18 cidadãos portugueses e duas cidadãs brasileiras, esteve na cidade chinesa de Wuhan, onde começou o surto do novo coronavírus (família de vírus que pode provocar pneumonia), e chegou no domingo ao aeroporto militar de Figo Maduro, em Lisboa.

Desde então, e com o seu consentimento, as pessoas encontram-se em isolamento profilático face ao risco de exposição ao vírus a que estiveram sujeitas na China.

A diretora-geral da Saúde reiterou que os 20 cidadãos estão bem de saúde, sem sintomas de infeção pelo '2019-nCoV' e que, desde esta quinta-feira, podem circular durante o dia num "espaço exterior reservado" do Hospital Pulido Valente desde que usem máscara protetora.

Novos testes de despistagem do novo coronavírus serão feitos perto do fim do isolamento, no 10º ou 11º dia. As primeiras análises efetuadas deram resultados negativos.

As 20 pessoas vão ficar em isolamento profilático durante 14 dias, tempo estimado para o período de incubação (até ao aparecimento de sintomas de infeção) do novo coronavírus.

 

INEM passa a assegurar também o transporte de suspeitos em Faro e Coimbra

Coimbra e Faro passaram a ter equipas do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) para transportar para os hospitais de referência as pessoas suspeitas de estarem infetadas com o novo coronavírus (2019-nCoV), anunciou esta quinta-feira a entidade.

O reforço do transporte com mais duas equipas, uma em Faro e outra em Coimbra, vigora desde quarta-feira e foi anunciado esta quinta-feira pelo presidente do INEM, Luís Meira, numa conferência de imprensa, em Lisboa, onde foi feito um novo balanço sobre a infeção pelo '2010-nCov', detetado na China em dezembro.

Antes, o transporte para os hospitais de referência das pessoas suspeitas de estarem infetadas com o novo coronavírus era apenas assegurado por duas equipas em Lisboa e no Porto.

De acordo com as orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS), os casos suspeitos, que são validados por três médicos, são encaminhados pelo INEM para três hospitais de referência: Hospital Curry Cabral e Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, e Hospital S. João, no Porto.