O relatório diário da Direção-geral da Saúde revela que, esta sexta-feira, há mais sete mortes e 1.323 novos casos, em Portugal.

Verifica-se também menos 28 internados e menos nove doentes em unidades de cuidados intensivos.

A incidência diminui em relação à última atualização da DGS, tendo passado, a nível nacional, de 259,6 casos de infeção 100 000 habitantes para 240,7 e, no continente passou de 267,4 para 247,9.

O R(t) também baixou de 0,92 para 0,87, no panorama nacional, e de 0,93 para o,87, no continente.

Há ainda menos 308 pessoa sob vigilância das autoridades de saúde e mais 1.936 pacientes recuperados.

Neste momento, há 38.620 casos ativos de infeção por SAR-CoV-2 no país. Desde o início da pandemia de covid-19, em Portugal, já se registaram 17.843 óbitos e 1.053.450 casos.

Portugal com dois concelhos com nível máximo de incidência

Portugal tem esta sexta-feira dois concelhos com incidência do coronavírus SARS-CoV-2 superior a 960 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, menos quatro do que na última sexta-feira.

Montalegre (1.036) e Albufeira (997) são os concelhos que apresentam maior incidência de infeções a 14 dias pelo coronavírus da covid-19, encontrando-se no nível máximo de incidência tal como na semana passada.

Segundo os dados esta sexta-feira divulgados no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), há 220 concelhos com uma incidência superior a 120 casos de infeção pelo vírus SARS-COV-2 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias (menos 11).

Destes 220 concelhos, 14 registam incidência cumulativa a 14 dias entre os 480 e os 959,9 casos entre 26 de agosto e 01 de setembro, menos 13 em relação à semana anterior (27).

Os dados da DGS indicam ainda que, nos últimos 14 dias, 73 concelhos ultrapassaram os 240 casos de infeção por 100 mil habitantes, menos 19 do que na sexta-feira anterior (92).

Sem qualquer caso de infeção pelo novo coronavírus nos últimos 14 dias estão agora nove concelhos: Avis, Calheta (Açores), Freixo de Espada à Cinta, Lajes das Flores, Mora, Santa Cruz da Graciosa, Santa Cruz das Flores, Tabuaço e Vila do Porto.

No final do mês de julho, o Conselho de Ministros definiu que o nível de risco na matriz de monitorização da pandemia de covid-19 passaria a fixar-se em 480 casos por 100 mil habitantes a 14 dias em vez dos anteriores 240, decidindo também que deixaria de haver medidas diferenciadas por concelhos.

A Direção-Geral da Saúde continua, por sua vez, a divulgar dados por concelhos com referência à incidência cumulativa que "corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada".

Nuno Mandeiro