Desde 1 de julho que os novos casos de Covid-19 na região de Lisboa não eram tão baixos, indicou a ministra da Saúde, Marta Temido, na conferência de imprensa desta segunda-feira, de análise da situação epidemiológica em Portugal.

Sintra é, neste momento, o único concelho da Área Metropolitana de Lisboa (AML), que não está a ter resultados tão positivos.

Temos estado a fazer um trabalho de grande intensidade que está a dar já alguns resultados nas 19 freguesias da AML. Quando olhamos para o número de novos casos nos últimos 14 dias, comparando com o número de novos casos nos últimos sete dias, encontramos alguns resultados. A incidência nos últimos sete dias diminuiu em todos os concelhos, mantendo-se Sintra a situação um pouco distante da que gostaríamos. A evolução da incidência nos últimos 14 dias aparenta estabilizar em torno dos 100 a 140 novos casos por cada 100 mil habitantes, com tendência decrescente, tendo sido registada hoje a incidência mais baixa desde 1 de julho em quase todos os concelhos", indicou Marta Temido.


A taxa de incidência em Portugal situa-se, atualmente, em "19,0 por 100.000 habitantes", valor que a ministra considerou "encorajador", mas que ainda está aquém do desejado, devido aos surtos na região de Lisboa, ou seja, "43,2 por 100.000 habitantes” nos últimos 14 dias.

É preciso continuar a prosseguir os esforços”, defendeu.

Marta Temido sublinhou, ainda, que o risco de transmissão da doença (Rt) "está numa trajetória de decréscimo" a nível nacional, sendo o último valor apurado pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, referente à semana 12-16 julho, o "Rt é de 0,97, podendo o verdadeiro valor variar entre 0,96 e 0,99".

São números que consideramos bastante encorajadores", assumiu a governante.

Neste momento, há em Portugal 206 surtos ativos, sendo a maioria na região de Lisboa - 131, confirmou Marta Temido. Há, ainda, 41 na região Norte, 13 no Algarve, 11 no Centro e 10 no Alentejo.

No entanto, o subdiretor-geral da saúde, Diogo Cruz, também presente na conferência de imprensa, sublinhou que alguns destes surtos podem já estar extintos, uma vez que há "surtos que não têm casos há uma semana", mas a DGS "espera 28 dias para dizer que os surtos estão extintos".

De acordo com o último boletim epidemiológico da DGS, foram registadas mais duas mortes e 135 infetados nas últimas 24 horas, elevando para 1.691 o número de óbitos e 48.771 os casos confirmados.

Governo interessado na vacina "quando aparecer"

O Governo português já manifestou interesse em adquirir doses de uma eventual vacina contra o novo coronavírus, mas apenas quando estiver disponível, indicou Marta Temido.

Já sinalizámos o nosso interesse em adquirir para o nosso país quantidades adequadas a uma eventual vacinação nos critérios que venham a ser definidos quando uma nova vacina vier a aparecer. O Governo português tem procurado estar presente em todos os processos, acompanhar todas estas possibilidade, mas é ainda prematuro ter mais do que expectativas relativamente ao seu sucesso”, indicou.

Marta Temido referiu ainda que, no contexto de uma reunião com os seus homólogos da União Europeia, na quinta-feira, foi possível acompanhar os desenvolvimentos de várias propostas.

Catarina Machado