Portugal regista esta quarta-feira mais oito mortes e 375 casos novos casos de infeção por Covid-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS). 288 dos quais na região de Lisboa e Vale do Tejo.

O total de vítimas mortais é, agora, de 1.676 enquanto os casos confirmados como positivos são 47.426.

O boletim desta quarta-feira regista ainda mais 560 doentes recuperados, num total de 32.110 pessoas que foram consideradas curadas.

Boletim DGS - 15 de julho by TVI24 on Scribd

Em termos percentuais, nas últimas 24 horas o aumento de óbitos foi de 0,5% (passou de 1.668 para 1.676) e o de casos confirmados 0,8% (de 47.051 para 47.426).

Lisboa e Vale do Tejo é a região onde o aumento dos casos continua a ser mais significativo, contabilizando 77% dos novos casos, com 288 dos 375, e três das oito mortes registadas. As restantes foram três na região Norte (três), uma no Centro e outra no Alentejo.

Em número de casos, Lisboa e Vale do Tejo lidera com 23.296, seguida pela região Norte (18.215, com 31 casos novos), a região Centro (4.319, 22 casos novos), o Algarve (750, 25 casos novos) e o Alentejo (596, 10 casos novos).

Nos Açores, as autoridades contabilizam menos um caso (151) e o mesmo número de mortes (15) e a Madeira mantém o mesmo numero de casos (99) e continua a não registar qualquer óbito.

Apesar dos aumentos em Lisboa e Vale do Tejo, é o Norte que regista o maior número de mortes (826), depois surge Lisboa e Vale do Tejo (550), Centro (251), Alentejo (19), Algarve (15) e Açores (15).

Nas últimas 24 horas, o número de pessoas internadas subiu de 472 para 478 (mais seis) e o de internados em cuidados intensivos baixou de 69 para 68 (menos um).

Em relação à informação sobre os casos por concelho, a DGS diz que a informação apresentada se refere ao total de notificações médicas no sistema SINAVE, não incluindo notificações laboratoriais. Como tal, pode não corresponder à totalidade dos casos por concelho.

Continuam a existir 11 concelhos com mais de mil casos, com Lisboa (4.084), Sintra (3.219) e Loures (2.088) à cabeça. A DGS informa ainda a caracterização demográfica apenas será atualizada às segundas-feiras.

Por faixas etárias, o maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos (1.122, mais oito), seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (324), entre 60 e 69 anos (150) e entre 50 e 59 anos (55). Há 20 mortos registados entre os 40 e 49 anos, três entre os 30 e 39 e dois entre os 20 e 29 anos de idade.

Em termos de infetados, a maioria encontra-se na faixa etária entre 40 e 49 anos (7.839), depois entre 30 e 39 anos (7.695), 50 a 59 anos (7.275), 20 e 29 anos (7.153) e mais de 80 anos (5.626).

As autoridades de saúde têm sob vigilância 35.316 contactos de pessoas infetadas – mais 972 do que na terça-feira - e 1.550 casos aguardam resultado laboratorial.

O número de doentes dados como recuperados aumentou de 31.550 para 32.110 (mais 560).