Portugal regista hoje mais duas mortes e 306 novos casos de infeção por covid-19 em relação a domingo, 254 dos quais na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS).

O total de vítimas mortais é, agora, de 1.662, enquanto os casos confirmados como positivos são 46.818.

Há ainda registo de mais 158 doentes recuperados. Apesar de haver mais cinco pessoas internadas (467), há agora menos uma pessoa nos Cuidados Intensivos (63).

Boletim DGS - 13 de julho by Cláudia Évora on Scribd

 

Em termos percentuais, nas últimas 24 horas o aumento de óbitos foi de 0,1% (passou de 1.660 para 1.662) e o de casos confirmados 0,7% (de 46.512 para 46.818).

Lisboa e Vale do Tejo é a região onde o aumento dos casos continua a ser mais significativo, contabilizando 83% dos novos casos, com 254 dos 306, e uma das duas mortes registadas. O segundo óbito foi na região Norte.

Em número de casos, Lisboa e Vale do Tejo lidera com 22.865, seguida pela região Norte (18.142, com 33 casos novos), a região Centro (4.276, nove casos novos), o Algarve (708, quatro casos novos) e o Alentejo (576).

Nos Açores, mantém-se o número de novos casos e de mortes, enquanto na Madeira surgiram dois novos casos, totalizando 99, e não ocorreu qualquer morte.

Apesar dos aumentos em Lisboa e Vale do Tejo, é o Norte que regista o maior número de mortes (823), depois surge Lisboa e Vale do Tejo (541), Centro (250), Alentejo (18), Algarve (15) e Açores (15).

Nas últimas 24 horas, o número de pessoas internadas subiu de 462 para 467 (mais cinco), mas diminuíram os internados em cuidados intensivos, de 64 para 63.

Relativamente aos dados por concelho, que permanecem iguais à informação divulgada no sábado, continuam a existir 11 com mais de mil casos, com Lisboa (3.645), Sintra (2.850) e Loures (1.910) à cabeça.

Em relação à informação sobre os casos por concelho, a DGS refere que o relatório de hoje não inclui a atualização da imputação de casos aos concelhos e que está a verificar todos os dadso com as autoridades locais e regionais de saúde, um trabalho que deverá ficar concluído nos próximos dias.

Por faixas etárias, o maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos (1.111), seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (321, mais uma), entre 60 e 69 anos (150, mais uma) e entre 50 e 59 anos (55). Há 20 mortos registados entre os 40 e 49 anos, três entre os 30 e 39 e dois entre os 20 e 29 anos de idade.

Em termos de infetados, a maioria encontra-se na faixa etária entre 40 e 49 anos (7.712), depois entre 30 e 39 anos (7.587), 50 a 59 anos (7.198), 20 e 29 anos (7.040) e mais de 80 anos (5.602).

As autoridades de saúde mantêm sob vigilância 34.301 contactos de pessoas infetadas - menos 211 do que no domingo – e 1.291 casos aguardam resultado laboratorial.

/ PP